Estratificação Social: dicas de como trabalhar o tema em sala de aula

Segue um conjunto de passos para trabalhar a temática Estratificação social 
Por Cristiano Bodart

Sugestões de textos para usar com os
alunos:
TOMAZI, Nelson Dacio. As estruturas Sociais e as
desigualdades
. In: Sociologia
para o Ensino M
édio. Editora Saraiva: São Paulo, 2010.
pp. 69-73.
BOMENY, Helena; FREIRE-MEDEIROS, Bianca. As
Classes sociais
. In: Tempos
Modernos, tempos de Sociologia
. Editora do Brasil: São Paulo, 2010. pp. 60-62
OLIVEIRA, Pérsio Santos
de. Estratificação e Mobilidade Social. In: Introdução à Sociologia. Editora Ática: São Paulo, 2000. pp.117-118.
Sugestão de texto para aprofundamento do
conhecimento do professor
Lakatos, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Estratificação Social, In: Sociologia Geral. 7 ed. Editora Atlas: São Paulo, 2010. pp. 242-273.
Dica de música para
aula
Música:
A Banca do Destino
Cantora: Elis
Regina
Não fala com pobre, não dá mão a preto

Não carrega embrulho

Pra que tanta pose, doutor

Pra que esse orgulho

A bruxa que é cega esbarra na gente

E a vida estanca

O enfarte lhe pega, doutor

E acaba essa banca

A vaidade é assim, põe o bobo no alto

E retira a escada

Mas fica por perto esperando sentada

Mais cedo ou mais tarde ele acaba no chão
Mais alto o coqueiro, maior é o tombo do coco afinal

Todo mundo é igual quando a vida termina

Com terra em cima e na horizontal
Veja o vídeo da música em:
Para maior aprofundamento e exemplificação de realidades analisadas na música ver o
trabalho intitulado “Proximidade
Territorial e Dist
ância Social: reflexões sobre o
efeito do lugar
à partir de um enclave urbano. A
Cruzada S
ão Sebastião no Rio de
Janeiro”,
de Luiz Cesar de
Queiroz Ribeiro, Gisele dos Reis Cruz e Juliana Eleuze Carreira Maberla.
Disponível em:
Música: Vida
de Pobre
Cantor: Manhoso
Eu acredito na sorte mais eu tenho uma impressão
Que o pobre só vai pra
frente com topada ou empurrão
Eu acredito na sorte mais eu tenho uma impressão
Que o pobre só vai pra
frente com topada ou empurrão
Oh gente minha gente o
gente meu irmão
O pobre só vai pra frente com
topada ou empurrão
O rico mora numa casa iluminada
O pobre mora num barraco e no escuro
Enquanto o rico deita em cama reclinada
O pobre deita em uma cama de pau duro
Oh gente minha gente o
gente meu irmão
O pobre só vai pra frente com
topada ou empurrão
O rico dorme de janela escancarada
A cachorrada toma conta da mansão
O pobre mora num barraco encurralado preocupado com
a visita do ladrão
Oh gente minha gente o
gente meu irmão
O pobre só vai pra frente com
topada ou empurrão
Repete a música 2x
Um vídeo da música pode ser acessado em:
Música: Burguesinha
Cantor: Seu Jorge
Composição: Seu Jorge / Gabriel Moura / Pretinho da
SerrinhaVai no cabeleireiro
No esteticista
Malha o dia inteiro
Pinta de artista
Saca dinheiro
Vai de motorista
Com seu carro esporte
Vai zoar na pista
Final de semana
Na casa de praia
Só gastando grana
Na maior gandaia
Vai pra balada
Dança bate estaca
Com a sua tribo
Até de madrugada
Burguesinha, burguesinha
Burguesinha, burguesinha
Burguesinha
Só no filé
Burguesinha, burguesinha
Burguesinha, burguesinha
Burguesinha
Tem o que quer
Burguesinha, burguesinha
Burguesinha, burguesinha
Burguesinha
Do croissant
Burguesinha, burguesinha
Burguesinha, burguesinha
Burguesinha
Suquinho de maçã
Um vídeo da música pode ser acessado em:
Dica de Filme para a aula
Fime: Central
do Brasil (Brasil, 2000)
Direção de Walter
Salles.
Apresenta um
elemento marcante na sociedade estratificada brasileira: o analfabetismo.
Dica de Dinâmica para a aula
Objetivo:
   1. Refletir sobre o papel da educação frente as injustiças cometidas pelo Estado.
    2. Refletir sobre o papel do
cidadão frente a um Estado que rompe com o “contrato
social” (no sentido  de Rousseau);
  3. Refletir sobre a desapropriação de bens em ações socialistas.
Material necessário:
Bombons (devem ser solicitado 3 bombons por aluno,
em aula anterior);
Vendas para os olhos.
Desenvolvimento:
Inicie a aula sem dizer os objetivos, apenas fale
que será realizado uma dinâmica.
Comunique a  regra do jogo: ninguém pode emitir nenhum tido de som durante toda a dinâmica, apenas poderá falar (sim ou não) aqueles que
o professor solicitar.
1º momento:
Peça que todos coloquem os bombons sobre a mesa.
Certamente alguns não levarão para a aula
os bombons solicitados – isso faz parte da dinâmica (em
escola pública, onde as desigualdades sociais são marcantes, a dinâmica funciona ainda melhor).
Passe recolhendo todas os bombons. Lembrando que
ninguém pode falar nada!
Aleatoriamente, deve ser vendado os olhos de
cerca  de 1/3 dos alunos.
Redistribua os bombons de forma desigual (deixe uns
alunos que estão com os olhos vendados sem bombons e outros com
um, dois, três, cinco… ). Obs: coloque em suas mãos para terem ideia (os que estão com os olhos
vendados) que estão recebendo os bombons.
Olhos vendados, bombons redistribuídos, pergunte a alguns alunos (um de cada vez) se tem se está tudo certo (só podem dizer sim ou não). Comece com
os alunos de olhos vendados que nada receberam (como eles estão de olhos vendados, não terão nem ideia do
que está ocorrendo), depois passe para os de olhos vendados
que receberam mais de 3 bombons (pergunte a eles se estão satisfeitos, orientando que responda sim ou não, apenas), depois passe para os que estão com vendas,
mas que receberam menos de 4 balas. E por fim, pergunte os que estão sem vendas. Nesse momento pergunte se estão satisfeitos e o por que.
Mande que tirem as vendas e pergunte novamente
(agora deixe eles falarem o que quiserem a respeito). Certamente agora os que
se sentiram prejudicados reclamarão. Nesse
momento explique a importância da educação (olhos
abertos) para compreender o que se passa na sociedade e na Administração dos recursos angariados por meio de nossos impostos.
2º momento:
Como os que pouco receberam estão insatisfeitos e os que mais receberam estão satisfeitos (especialmente aqueles que não levaram os
bombons e agora ganharam), recolha todas os bombons e coloque na bolsa (como se
fosse levar para casa). E diga que ficará com todos.
Isso de forma bem ditatorial.
Nesse momento eles não concordarão. Explique a partir dai, a importância de
questionar o governo quando recolhe os impostos e nada ou quase nada faz.
3º momento:
Diga que “para todos ficarem satisfeitos, será distribuído igualmente à todos, como
no Socialismo. Faça assim. Haverá reclamação daqueles que trouxeram 4 bombons e ficaram com menos (devido ao fato
de nem todos terem trazido, e na hora da divisão os que
trouxeram 3 bombons ficarão com 2 ou 1 bombom).
A partir dai discuta questões ligadas ao socialismo e a políticas
redistributivas.
Obs: reflita que nem todos não contribuem devido as condições de comprar
bombons naquele dia, assim como tem pessoas na sociedade que são impossibilidades por vários motivos de contribuir economicamente para o
Estado. Seria justo a redistribuição dos recurso
públicos de forma igualitária?
Relembre a eles que o socialismo pregava que cada
um deveria contribuir com sua capacidade e receber conforme sua necessidade.
Dica de atividade para a aula
1. Com relação a
Estratifica
ção Social é incorreto
afirma que:
a) no caso das Castas a posição social lhe é atribuída por ocasião do nascimento, independentemente de sua vontade e sem perspectiva de
mudança. Ele carrega consigo, por toda a vida, a posição social herdada.
b) Estamento ou estado é uma camada social semelhante à casta, porém mais aberta. Na sociedade estamental a mobilidade social ascendente é difícil, porém não impossível, como na sociedade de castas.
c) São três os principais tipo de estratificação social:
Estratificação econômica;
Estratificação política;
Estratificação profissional
d) Nos Estamentos existe maior mobilidade social do
que nas Classes Sociais e nas Castas.
2. Ao explicar a estratificação das sociedades modernas, os marxistas afirmam que:
a) trata-se de uma desigualdade social normal em
qualquer sociedade.
b) trata-se de uma situação marcada pela luta de classes, a qual se configura pela posse ou não de riqueza.
c) trata-se da explicação de como as sociedades medievais estavam organizadas.
d) trata-se da explicação da realidade social de países
socialistas.
Cristiano Bodart Bodart

Graduado em Ciências Sociais, doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo/USP.

View more articles Subscribe
Leave a response comment3 Responses
  1. Munhoz
    outubro 11, 01:08 Munhoz

    Olá Cristiano ou Ronieu, sou proprietário de um blog sobre história e outras ciências humanas, gostaria de firmar parceria de divulgação com o site de vocês. É possível? Visite-me http://tempossafados.blogspot.com.br/

    Abraços!

    reply Reply this comment
  2. Anônimo
    setembro 01, 21:57 Anônimo

    Olá! Fiquei com uma dúvida, estão "incorretas" aquelas firmações em relação à estratificação social?
    Pois em todos livros diz que são corretos.

    Abraços!!

    reply Reply this comment
  3. Cristiano Bodart Bodart
    setembro 02, 04:19 Cristiano Bodart Bodart

    Anônimo, a letra "d" do número 1 está incorreta.

    reply Reply this comment
mode_editLeave a response

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *

menu
menu
%d blogueiros gostam disto: