A Alta Idade da Mediocridade e a cruzada contra a racionalidade

Por Cristiano das Neves Bodart

Um
fantasma ronda o Brasil – o fantasma da racionalidade. Todas as potências da
velha mediocridade unem-se numa aliança para conjurá-lo: a grande mídia e seus
“soldados” reprodutores e propagadores de suas ideologias, sobretudo, os
“filósofos de facebook” e suas diversas variações de “patente” .
No período atual, por alguns chamados de “Alta Idade da Mediocridade”, contemplamos uma nova Cruzada; agora contra a racionalidade. Há
um ataque sistemático a discussões racionais. Um argumento racional postado no
facebook, por exemplo, é logo atacado por frases prontas construídas por
informações que não se sabe a fonte. Se cobrares a fonte de tais informações
será identificado em poucos segundos como herege, pois onde já se viu querer
discutir um assunto de natureza social, política ou econômica, por exemplo, a
partir de dados confiáveis! É o segundo pecado capital! O primeiro é não
reproduzir e levar à frente as informações medíocre que se espalham pelas redes
sociais, sobretudo as imagens simplificadoras da “realidade”.
A regra é ser medíocre. Está determinado pelas formas celestiais que não se deve
sair da média das ideias. A ordem é ser mediano. Informado exclusivamente pela
grande mídia; pois, medíocre que se preze é aquele que nunca leu um livro sobre
o assunto, mas que possui muitas considerações sobre ele, além de ter um repertório (reduzido, é verdade) de “adjetivos esteriotipados” para usar nos “debates”. 
Exigir
nas redes sociais fontes confiáveis em um debate sobre política ou economia
tornou-se um grande pecado nesses dias; com direito a ser queimado em um
fogueira. “Filósofos, Sociólogos, Cientistas Políticos do facebook
uní-vos! Queimem todos os livros acadêmicos e sua pecaminosas universidades. Não
falem (muito menos escrevam) a palavra “embasamento”, esta atrai demônios do
passado. Não esqueçam de assassinar exemplarmente em praça pública os
professores hereges… sobretudos os que tiverem gravados o símbolo da besta
disfarçado de titulação. E comece a inquisição…
Referências Bibliográficas:
Obs: fontes não mencionadas por medo de ser interpretado como herege.
Cristiano Bodart Bodart

Graduado em Ciências Sociais, doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo/USP.

View more articles Subscribe
Leave a response comment1 Response
  1. Eryckson M. Reis
    abril 04, 17:03 Eryckson M. Reis

    Adorei o texto, excelente.

    reply Reply this comment
mode_editLeave a response

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *

menu
menu
%d blogueiros gostam disto: