Erros metodológicos comuns na análise social

Por Cristiano das Neves Bodart

cristianobodart@hotmail.com

É comum vermos não iniciados em Ciências Sociais se propondo a tirar conclusões em torno da realidade social. Geralmente usando como base o senso comum. Porém, em alguns casos, nota-se uma tentativa de utilizar-se de um método para fazer tais análises.

Não propomos apresentar aqui metodologias ou realizar análises exaustivas, mas propor uma atividade de reflexão em torno de “métodos” que vemos se espalhar pela internet, sobretudo via redes sociais. Tomaremos um exemplo para análise. O exemplo, trata-se de uma boa (assim acreditamos) maneira de conduzir os iniciantes em Ciências Sociais a problematizar “testes” de “análises” da realidade social. 
A atividade deve ser realizada em etapas. Vamos a elas:
Etapa 1: Explicar que o vídeo a seguir trata-se de um experimento, onde duas situações foram simuladas a fim de analisar os resultados em compará-los. No primeiro momento coloca-se um homem branco com uma arma (AR-15) para observar como ele é abordado pela polícia. Depois o mesmo é feito com um homem negro.
Etapa 2: Assistir o vídeo a seguir:

Etapa 2: Perguntar aos discentes se eles podem tirar conclusões a partir desse experimento e quais seriam. 
Etapa 3: Explicar sobre os cuidados que temos ter ao elaborar um métodos e aplica-lo. No caso desse vídeo, a proposta do teste é interessante e intrigante (no mínimo nos faz pensar na questão), mas há problemas metodológicos por envolver indivíduos (os dois policiais) diferentes (uma vez que a reação pode ter mais a ver com eles do que com a instituição) e por ser realizada uma única vez, não tendo representatividade dentro do universo que parece tentar generalizar a conclusão.
Outro problema é não mostrar como se comportava o “homem branco” antes da abordagem. Não sabemos se o comportamento era o mesmo (caminhando próximo a uma avenida com uma arma). Em síntese, notamos problemas na execução (quando a proposta é comparar, tudo deve ser reproduzido, sem muitas variações) e na incapacidade de generalização pelo tamanho da amostragem.
De qualquer forma, o vídeo nos parece bastante rico para o processo de ensino-aprendizagem do uso de métodos nas ciências sociais, ainda que nos levando a aprender com os erros existentes.

Cristiano Bodart Bodart

Graduado em Ciências Sociais, doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo/USP.

View more articles Subscribe
comment No comments yet

You can be first to leave a comment

mode_editLeave a response

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *

menu
menu
%d blogueiros gostam disto: