Darcy Ribeiro: Vida e Obra


“Sou um homem de causas. Vivi sempre pregando, lutando, como um cruzado, pelas causas que comovem. Elas são muitas, demais: a salvação dos índios, a escolarização das crianças, a reforma agrária, o socialismo em liberdade, a universidade necessária. Na verdade, somei mais fracassos que vitórias em minhas lutas, mas isso não importa. Horrível seria ter ficado ao
lado dos que venceram nessas batalhas.”
Darcy Ribeiro. Sobornne.

Vida e Obra

  • Darcy Ribeiro nasceu em Montes Claros (MG) em 26 de novembro de 1922.
  • Em 1939, mudou-se para Belo Horizonte, onde ingressou na Faculdade de Medicina. Abandonou o curso três anos depois e se transferiu para São Paulo, onde passou a estudar ciências sociais.
  • Formou-se em 1946. No ano seguinte, ingressou no Serviço de Proteção ao Índio (SPI), onde passou a trabalhar como etnólogo.
  • Viveu cerca de dez anos junto a comunidades tribais da Amazônia.
  • Desenvolvel trabalhos nas áreas de educação, sociologia e antropologia;
  • Foi uma dos reponsáveis pela criação da Universidade de Brasília.
  • Idealizador da Universidade Estadual do Norte Fluminense.
  • Planejou e dirigiu a implantação dos Centros Integrados de Ensino Público (CIEP), um projeto pedagógico visionário e revolucionário no Brasil de assistência em tempo integral a crianças, incluindo atividades recreativas e culturais para além do ensino formal
  • Foi ministro-chefe da Casa Civil do presidente João Goulart
  • Foi vice-governador do Rio de Janeiro de 1983 a 1987
  • Foi assessor direto de quatro presidentes da República -Juscelino Kubitschek, João Goulart, Salvador Allende (Chile) e Juan Velasco Alvarado (Peru).
  • Exerceu o mandato de senador pelo Rio de Janeiro, de 1991 até sua morte;
  • Autor da Lei de Diretrizes de Bases da Educação /LDB que tramitou 8 anos no congresso;
  • Morreu em 17 de fevereiro de 1997, vítima de câncer de próstata.

Obras:

EtnologiaCulturas e línguas indígenas do Brasil – 1957
Arte plumária dos índios Kaapo – 1957
A política indigenista brasileira – 1962
Os índios e a civilização – 1970
Uira sai, à procura de Deus – 1974
Configurações histórico-culturais dos povos americanos – 1975
Suma etnológica brasileira – 1986 (colaboração; três volumes).
Diários índios – os urubus-kaapor – 1996, Companhia das Letras

Antropologia O processo civilizatório – etapas da evolução sócio-cultural – 1968
As Américas e a civilização – processo de formação e causas do desenvolvimento cultural desigual dos povos americanos – 1970
O dilema da América Latina – estruturas do poder e forças insurgentes – 1978
Os brasileiros – teoria do Brasil – 1972
Os índios e a civilização – a integração das populações indígenas no Brasil moderno – 1970
The culture – historical configurations of the American peoples – 1970 (edição brasileira em 1975).
O povo brasileiro – a formação e o sentido do Brasil – 1995.

RomancesMaíra – 1976
O mulo – 1981
Utopia selvagem – 1982
Migo – 1988

Ensaios Kadiwéu – ensaios etnológicos sobre o saber, o azar e a beleza – 1950
Configurações histórico-culturais dos povos americanos – 1975
Sobre o óbvio – ensaios insólitos – 1979
Aos trancos e barrancos – como o Brasil deu no que deu – 1985
América Latina: a pátria grande – 1986
Testemunho – 1990
A fundação do Brasil – 1500/1700 – 1992 (colaboração)
O Brasil como problema – 1995
Noções de coisas – 1995

EducaçãoPlano orientador da Universidade de Brasília – 1962
A universidade necessária – 1969
Propuestas – acerca da la renovación – 1970
Université des Sciences Humaines d’Alger – 1972
La universidad peruana – 1974
UnB – invenção e descaminho – 1978
Nossa escola é uma calamidade – 1984
Universidade do terceiro milênio – plano orientador da Universidade Estadual do Norte Fluminense – 1993

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Darcy_Ribeiro

http://www1.folha.uol.com.br/fol/pol/po17022.htm

Cristiano Bodart Bodart

Graduado em Ciências Sociais, doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo/USP.

View more articles Subscribe
Leave a response comment1 Response
  1. carlos cesar
    março 15, 20:28 carlos cesar

    (h) (h) (h) (h) (h) gostei d+ (h) (h) (h) (h) (h) (h)

    reply Reply this comment
mode_editLeave a response

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *

menu
menu
%d blogueiros gostam disto: