Etnografia e Imagem

Gostaria de indicar a leitura de um artigo bem interessante. Para os professores de plantão que desejam aplicar a sugestão do post Atividade de Sociologia: Imagem e Cotidiano será muito útil.

Trata-se do artigo intitulado “A FOTOGRAFIA COMO RECURSO NARRATIVO: PROBLEMAS SOBRE A APROPRIAÇÃO DA IMAGEM ENQUANTO MENSAGEM ANTROPOLÓGICA”, de Nuno Godolphim

Resumo

 Analisando as características da mensagem fotográfica e etnográfica, este
paper procura refletir sobre algumas das formas possíveis de apropriação da fotografia
na construção de “textos” de caráter etnográfico.

Palavras-chave: fotografia, imagem, mensagem antropológica, narrativa. 

Trecho do artigo:

“[…] a antropologia não se pode dar o luxo dessa economia, pois seu
objeto de estudo reside exatamente nesse “nó” de códigos. Sua atividade consiste em traduzir para os códigos do leitor os códigos do ator. E, para tanto, o
etnógrafo procura decodificar os códigos do ator numa linguagem intermediária, que faça a passagem de um código para o outro. 
Assim, é preciso encontrar fórmulas para destacar a conotação primeira
que levou o etnógrafo a produzir aquela foto e selecioná-la dentro um conjunto
de fotos possíveis. Para tanto é preciso compartilhar dos códigos de leitura
dessas imagens. 
Antes de seguir adiante façamos um pequeno teste. Pegue-se, por exemplo, a foto a seguir. Tente identificar qual a intenção do fotógrafo e o que está
ocorrendo diante de seus olhos. Dou uma pista: não se trata de nenhum resultado de pesquisa em ciências sociais. Olhe a foto por alguns instantes e só
depois de formar uma hipótese siga com a leitura. 

Tenho certeza que você leitor não imaginaria que o “negro” que corre a
frente é um oficial à paisana e que ambos estão perseguindo uma pessoa que
não aparece na foto. Sem essas informações o leitor corrente tenderia a imagi-
nar que o “negro” é que estaria sendo perseguido. Uma leitura condicionada
pelas informações contidas na foto (um policial corre a atrás de alguém de cor)
e pela bagagem do leitor, provavelmente acostumado à violência da sociedade
moderna, onde policiais costumam correr atrás de pessoas, reforçado pelo fato
de ser um pessoa de cor negra, etc. Poder-se-ia seguir à analise, encontrando
mais detalhes na foto, ou deduzindo possíveis leituras em função da bagagem
dos diversos segmentos da sociedade.
Tudo seria bem mais simples se soubéssemos que esta foto foi utilizada
numa publicidade da polícia inglesa para recrutar não-brancos para os seus
efetivos. No caso, a legenda que acompanhava o anúncio é que informava o
contexto em que a foto foi tirada e explicitava a sua intenção” (p.173-174). 

Visite também os blogs Mangue Sociológico e Ciência Social Ceará

Cristiano Bodart Bodart

Graduado em Ciências Sociais, doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo/USP.

View more articles Subscribe
comment No comments yet

You can be first to leave a comment

mode_editLeave a response

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *

menu
menu
%d blogueiros gostam disto: