Alienação

Por Cristiano Bodart
A palavra alienação vem do Latim “alienus”, que significa “de fora”, “pertencente a outro”. Em português utilizamos a palavra alheio. Na Sociologia ser alienado é estar alheio aos acontecimentos sociais, ou achar que está fora de sua realidade. É não se reconhecer como agente produtor da História.
Karl Max em sua obra Manuscritos econômico-filosóficos, de 1844, utilizou a palavra para designar o estranhamento do trabalhador com o produto do seu trabalho, ou seja, o trabalhador não mais dominando todas as etapas de fabricação e não possuindo os meios de produção para tal, acaba não se reconhecendo no produto produzido. O produto passa a ser visto sem ligação com seus produtores (ao ver um artesanato surge quase sempre a pergunta: quem fez? O mesmo não ocorre com os produtos industrializados). A perda de contato e controle do produto final de seu trabalho manifesta-se quase como uma perda de sua essência. É como se…

 o produto tivesse surgido independente do homem/produtor, como um feitiço, daí o termo utilizado por Max: Fetichismo da mercadoria.
O sentimento identificado por Marx (denominada alienação econômica), de o trabalhador olhar para a mercadoria e enxergá-la como algo que não o pertence, algo distante, alheio a sua vida consolidou o conceito de Alienação nas Ciências Sociais. Assim o conceito se expandiu para além das relações de trabalho. Assim como o trabalhador, na leitura marxista, não pode se beneficiar plenamente dos ganhos da produção, nem atuar para mudar essa situação, uma vez que está não lhe pertence (alienus), assim ocorre em outros campos da vida social.
Hoje ser alienado é está alheio dos acontecimentos sociais, é não compreendê-los, é não atuar sobre eles. Um intelectual ao desprezar o conhecimento popular pode está alienado, uma vez que ao se fechar em seu mundo, acaba não se reconhecendo como parte do todo. Geralmente o adjetivo de alienado está ligado à população desprovida de conhecimentos científicos e filosóficos, uma vez que limitados as “lentes” da religiosidade e/ou do senso comum acabam ficando alheios (alienus) dos fenômenos políticos, econômicos e científicos.
O termo utilizado como antônimo de alienado é a palavra crítico. Não no sentido popular e mais usual da palavra (falar mal de algo). A palavra crítica, de origem grega e que vem de Kritikos, está que quer dizer de alguém “apto a fazer um julgamento”. No Português, o adjetivo “crítico” tem uma origem direta da palavra “crise”. Nos momentos de crise, existe um sentimento de incertezas, onde passamos a julgar toda a realidade aparente. Ser crítico é justamente julgar as aparências, as informações recebidas, a contestar, a buscar saber “dos porquês”? Para que? Onde? Como? Para quem? Em fim, é buscar compreender o mundo que nos cerca, para que possamos atuar plenamente sobre ele, entendendo que somos parte dele.
Cristiano Bodart Bodart

Graduado em Ciências Sociais, doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo/USP.

View more articles Subscribe
Leave a response comment11 Responses
  1. Jorge Willian
    março 16, 04:07 Jorge Willian

    Bom texto, Cristiano. Você resumiu bem a ideia de alienação do trabalho e gostaria de sugerir aos seus leitores a obra do marxista István Mészaros e, em particular, o livro "A Teoria da Alienação em Marx".

    reply Reply this comment
  2. Thiago Monteiro
    novembro 19, 12:07 Thiago Monteiro

    Vocês estão nos bombardeando com publicidade.

    reply Reply this comment
  3. Tiago Alexandre
    dezembro 15, 23:16 Tiago Alexandre

    (h) (h) (h) (h)

    reply Reply this comment
  4. cristina costa
    fevereiro 08, 12:33 cristina costa

    Gostei do texto, claro e objetivo…#professoradehistória!!!(h)

    reply Reply this comment
  5. Rayara Reinan
    maio 15, 00:01 Rayara Reinan

    Ótimo! Adorei!

    reply Reply this comment
  6. RODRIGO HMJJ
    setembro 16, 15:37 RODRIGO HMJJ

    Ótimo texto

    reply Reply this comment
  7. Rodolfo Costa
    dezembro 17, 15:44 Rodolfo Costa

    Bom texto

    reply Reply this comment
  8. Mateus C.
    março 03, 05:19 Mateus C.

    Referências?

    reply Reply this comment
  9. clovis da silva barros
    março 23, 01:29 clovis da silva barros

    Ótima explicação, o texto foi bem claro. Parabéns!

    reply Reply this comment
  10. Simony Souza
    maio 21, 19:38 Simony Souza

    você resumiu uma ideia complicada em poucas palavras, obrigada!

    reply Reply this comment
mode_editLeave a response

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *

menu
menu
%d blogueiros gostam disto: