A reificação da concorrência é algo necessariamente bom?

Por Roniel Sampaio Silva
Concorrência é a palavra da ordem do dia, ela tem sido
relacionada constantemente com qualidade e muitas vezes tem sido utilizada para
reificar algumas ações no campo macroeconômico.  Os intelectuais de livre mercado colocam a
livre concorrência sem intermediação de um ente estatal como centro de uma
sociedade mais justa e igualitária, será essa retificação de concorrência é
algo necessariamente bom?

Em primeiro lugar, devemos analisar que em muitas circunstâncias
boa parte das discussões na internet tem se polarizado entre concorrência e
cooperação.  As correntes ligadas à
ideologia do livre mercado colocam a concorrência como o única forma de
equalização das relações sociais. Devemos ter cuidado com a reificação da concorrência.
Há também outros processos sociais como a colaboração que ajudam a desenvolver
o ser humano a partir das suas relações.

Observando um fenômeno do cotidiano, vou problematizar essa retificação
concorrência não necessariamente pode ser algo bom.

No bairro que moro existem quatro empresas que fazem parte
do sistema de transporte coletivo. Estas por suas vez “disputam” os
passageiros. Ocorre que existem poucos diferenciais de concorrência. O preço máximo
é tabelado pela Prefeitura, a qualidade dos ônibus é praticamente a mesma.

O que faz com que o passageiro “escolha” uma empresa em
detrimento da outra é o fato da empresa ter ônibus que atenda o passageiro no
momento em que ele precisa, assim o este chegará mais cedo ao compromisso.
Passageiro e empresas aparentemente tem interesses comuns.
Todavia, os interesses são contraditórios uma vez que interesse das empresas é
obter mais lucro e o do passageiro é chegar mais cedo ao seu compromisso e
chegar com conforto.

O que fazem então as empresas para concorrer? Devem pegar o
maior número de passageiros que a outra. Alguns segundos de diferença em tais
empresas pode ser decisivo no número de passageiros que cada ônibus vai
angariar. Podemos especular então que as empresas vão aumentar a frequência de ônibus
para pegar o maior número de passageiros possíveis? Isso é o ideal, mas não é o
que de fato acontece. Uma maior frequência de ônibus circulando gera mais
custos operacionais.

O que acontece de fato é que as empresas acabam diminuindo a
frota, aumentando o tamanho dos ônibus para aumentar o número de passageiro e diminuir
custos operacionais. Assim, fazem com que os passageiros esperem mais tempo disputando
entre si tão somente o “acúmulo” de passageiros nos pontos de ônibus. Neste
sentido, como não há nenhuma regulamentação para essa situação por parte da
prefeitura, esse tipo de concorrência cria uma situação desconfortável para o
passageiro que passa a ser alvo de abuso empresas.  

Quanto mais passageiros “acumulam” nos pontos de ônibus,
mais rentável é para as empresas uma vez que muitas delas saem praticamente do
mesmo terminal. Os passageiros por sua vez passam a ficar cada vez mais tempo
nos pontos de ônibus uma vez que no terminal de partida a empresa só libera seu
ônibus, mediante a liberação do ônibus da empresa concorrente e isso cria um acúmulo
de passageiros os quais beneficia alternadamente as empresas e prejudicam cada
vez mais os passageiros.  A liberdade de
escolha do passageiro em muitos casos é ir a pé ou estar sujeito a este tipo de
abuso.

A partir desse caso podemos concluir que apenas a concorrência
desregulada ou uma concorrência regulada inadequadamente não é garantia de
qualidade para o consumidor.  É
necessário que os critérios de concorrência sejam definidos pela população e
não pelas empresas e seus lobbys junto ao poder público. Como se diz no
linguajar caboclo: “não deve deixar a raposa quem tomar conta do galinheiro”. 
[email protected]

Graduado em Ciências Sociais pela UFPI, mestre em Educação pela UNIR e docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí.

View more articles Subscribe
comment No comments yet

You can be first to leave a comment

mode_editLeave a response

menu
menu
%d blogueiros gostam disto: