“Batalha” de perguntas: Dinâmica de jogo de pergunta e resposta entre grupos.

Por Roniel Sampaio Silva
Sempre tive a curiosidade de fazer um jogo de perguntas e respostas, estilo “passa ou repassa”. Resolvi fazer a dinâmica uma vez que já estava trabalhando o texto “O que é sociologia” na aula anterior. Na ocasião pedi aos alunos que se reunissem em grupos e estabelecessem os tópicos frasais de cada parágrafo do texto. Então, resolvi promover uma competição entre os grupos para que eles aprendessem a importância de uma boa leitura e interpretação do texto para responder adequadamente ao que se pedia.
Ao ingressar em sala, pedi novamente que se organizassem em grupo . Os grupos foram dispostos de maneira circular, e foram definidos como grupo “A”, “B”, “C”…etc.. Escrevi no quadro as regras do jogo:
1- Cada grupo tem um 60 segundos para responder o que se pede, caso o grupo não responda a pergunta corretamente, a vez será repassada para o grupo seguinte, de maneira circular até todos os grupos tenham oportunidade de tentar responder. 
2- Um dos componentes do grupo deve escrever a resposta no papel para registrar a resposta que foi dita. 
3- Um componente do grupo deve falar a resposta para a sala em voz alta.
4- Caso ninguém consiga responder, o professor irá explicar sobre o tópico.
Previamente, elabore questões sobre o texto e faça o sorteio das questões antes de perguntar ao grupo. Em seguida, tenha o cuidado de copiar no quadro as questões que se pedem no ato do sorteio.
Usei as seguintes questões, do texto “O que é sociologia”:
1- Qual a semelhança entre sociologia e senso comum? 
2- Qual o objeto de estudo da sociologia? 
3- Qual a diferença entre sociologia e senso comum? 
4- Por que os temas da sociologia soa mais discutidos do que os temas da astronomia? 
5- O que é imaginação sociológica?
6- Cite exemplos de mecanismos de controle da sociologia? 
7- Qual o tema de estudo comum das ciências humanas?
Assim que terminamos a atividade, mostrei a importância de fazer uma leitura detalhada do texto, utilizando a estratégia dos tópicos frasais. A experiência foi muito positiva, sobretudo pela interatividade e dinâmica da aula. 
O melhor de tudo nessa dinâmica é que ela serve para qualquer assunto, basta trabalhar um texto.
[email protected]

Graduado em Ciências Sociais pela UFPI, mestre em Educação pela UNIR e docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí.

View more articles Subscribe
Leave a response comment8 Responses
  1. pedro rufino neto Rufino
    maio 13, 12:14 pedro rufino neto Rufino

    Uma sociedade movida por uma máquina de exclusão, tem como consequência as mais graves situações enfrentadas por uma massa excluída da participação de tudo, como:
    Opções de pergunta 4:

    distribuição de renda equitativativa e justa;

    oportunidades sociais democratizadas;

    desemprego em massa, salários aviltados e aumento da pobreza extrema;

    oportunidades para todos que queiram participar dos bens da terra.
    Salvar

    reply Reply this comment
  2. pedro rufino neto Rufino
    maio 13, 12:17 pedro rufino neto Rufino

    O que pode promover um processo de ideologização como formação de consciência crítica e de uma massa lúcida e dinâmica, será um processo educativo que, de fato, forme homens e mulheres que percebam o verdadeiro significado dos espaços históricos que ocupam e assumam o seu compromisso de cidadãos solidários com a construção de uma realidade mais justa e equitativa. Para isso, é preciso que:
    Opções de pergunta 1:

    os meios de comunicação continuem veiculando uma grade de programação recheada de conteúdos ridículos, alienantes e disseminadores de valores altamente discutíveis em seu significado deformador e medíocre;

    as igrejas continuem se servindo das mensagens religiosas para manter as massas passivas e acomodadas, extorquindo-lhes os últimos recursos, em favor do enriquecimento de pastores e líderes espertos e vorazes;

    que todos os aparelhos que formam opinião e educam o povo atuem de forma honesta e clara na veiculação de suas mensagens educativas e esclarecedoras da realidade. Assim, um povo lúcido e consciente, poderá fazer sempre as suas escolhas e desenvolver seus projetos individuais e coletivos em favor da melhoria da condição de vida de todos os habitantes do planeta;

    as escolas continuem se constituindo em espaços onde a educação sucumba, cada vez mais, ao processo de mercantilização e formação de profissionais individualistas, gananciosos e sem nenhum compromisso social em suas práticas especializadas.

    reply Reply this comment
  3. pedro rufino neto Rufino
    maio 13, 12:17 pedro rufino neto Rufino

    Uma das grandes propostas para promover a utopia de um novo homem e de uma nova sociedade, tendo a educação como uma força, por excelência, veio do educador Paulo Freire, com a sua Pedagogia do Oprimido. Considerando que a educação sempre foi um instrumento a favor dos poderosos, era preciso pensá-la e fazê-la a partir da ótica dos oprimidos. O que se entende por Pedagogia do Oprimido?
    Opções de pergunta 2:

    uma pedagogia que contempla os educandos emergentes das camadas mais privilegiadas da população;

    uma pedagogia pensada a partir da realidade da massa humana dos excluídos e que precisam da educação como uma possibilidade de libertação sob todos os aspectos de sua condição de deserdados;

    uma pedagogia que se caracteriza pelo seu método tradicional de educar, privilegiando exclusivamente a construção do conhecimento;

    uma pedagogia baseada no conceito bancário de educação, isto é, em que somente o professor ensina e o aluno, desprovido de qualquer conteúdo, aprende de forma passiva e quieta.

    reply Reply this comment
  4. pedro rufino neto Rufino
    maio 13, 12:18 pedro rufino neto Rufino

    Ao longo do período imperial – 1808 a 1889 – o sistema educacional brasileiro se prestou como produto de consumo das elites. O modelo econômico era agro-exportador, latifundiário, escravocrata e monocultural. Quem tinha acesso à educação eram os filhos dos coronéis. Esses não precisavam da educação para nada, a não ser como abrilhantamento pessoal e social, já que a terra não mudaria de dono. Houve, nesse período, um grande processo positivo de desenvolvimento cultural. Todavia, as ambiguidades do ponto de vista do acesso à educação por parte da sociedade emergente se mantiveram por que:
    Opções de pergunta 3:

    não somente os filhos dos coronéis tinham acesso à escola, mas todo cidadão, habitante da colônia, poderia escolher a escola que quisesse;

    somente os filhos dos coronéis tinham acesso às escolas e à cultura, que era completada em viagens para a Europa na busca de títulos;

    os jesuítas retornaram ao Brasil, já depois da independência de 1822, e procuraram educar também as massas populares emergentes;

    Dom João VI, um homem culto, um pesquisador e um estudioso notável, procurou democratizar a escola brasileir

    reply Reply this comment
  5. pedro rufino neto Rufino
    maio 13, 12:18 pedro rufino neto Rufino

    De acordo com o paradigma tecnológico, em que o supremo valor é o TER, no qual o próprio ser humano é reduzido à sua capacidade de produzir e consumir, o que realmente conta e vale são os seguintes valores:
    Opções de pergunta 5:

    solidariedade, partilha, acolhimento e cuidado do outro;

    ganância, luxo, lucro, individualismo e competição;

    alteridade, ética, justiça e amorização;

    diálogo, entendimento, cooperação e ajuda.

    reply Reply this comment
  6. pedro rufino neto Rufino
    maio 13, 12:19 pedro rufino neto Rufino

    De acordo com o paradigma tecnológico, em que o supremo valor é o TER, no qual o próprio ser humano é reduzido à sua capacidade de produzir e consumir, o que realmente conta e vale são os seguintes valores:
    Opções de pergunta 5:

    solidariedade, partilha, acolhimento e cuidado do outro;

    ganância, luxo, lucro, individualismo e competição;

    alteridade, ética, justiça e amorização;

    diálogo, entendimento, cooperação e ajuda.

    reply Reply this comment
mode_editLeave a response

menu
menu
%d blogueiros gostam disto: