Desenvolvimento versus Crescimento econômico

Por Roniel Sampaio Silva

É comum associar como sinônimos
os termos desenvolvimento e crescimento econômico.  Porém é preciso ter muita cautela nos usos
desses conceitos para evitar confusões.  A
ideia de crescimento sobrepõe-se como mais importante que desenvolvimento e
coloca tal crescimento como a principal meta a ser almejada por um país.  Neste texto irei apontar de maneira geral a
diferença entre os dois conceitos.

Embora  crescimento e desenvolvimento sejam
interdependentes e tenha suas especificidades contextuais próprias é possível,
grosso modo, fazer uma distinção introdutória sobre os conceitos. Enquanto o
crescimento econômico está relacionado ao Produto Interno Bruto (PIB) e a
produtividade do país, o desenvolvimento econômico vai mais além. Ele
representa a aplicação das riquezas de modo que melhore a qualidade de vida das
pessoas em aspectos como saúde, educação, alimentação e outros indicadores de bem-estar.
  
Um país que cresce economicamente
a níveis altíssimos não necessariamente está revertendo os ganhos nacionais asua população. Como é o caso do “milagre brasileiro” na década de 1970. Na
ocasião, os altos índices de crescimento econômicos conduzido pelo governo
militar não se reverteu em melhoria da qualidade de vida dos brasileiros.
Segundo Singer (1972) como havia forte repressão de sindicato e movimentos
sociais havia pouco espaço para melhoria de salário e condições de trabalho.
Para Bresser-Pereira (2008) desenvolvimento
“é o processo de acumulação de capital e incorporação de progresso técnico ao
trabalho e ao capital que leva ao aumento da produtividade, dos salários, e do
padrão médio de vida da população” (p. 1).  Celso Furtado  (1967 )compreende o desenvolvimento como sendo
uma superação do crescimento econômico, uma mudança qualitativa na economia de
modo que não apenas as elites se beneficiem.
Um dos indicadores do
desenvolvimento é a renda per capita.
Porém, para Bresser-Pereira (2008) somente a renda per capita não é garantia de
desenvolvimento se esta não for acompanhada  “por mudanças no plano das instituições, da
cultura, e das próprias estruturas básicas da sociedade” (p. 4).
Portanto, como não há crescimento
econômico infinito. O PIB de um país sempre vai ser difícil de ser superado em
relação ao ano anterior, é preciso ir além do modelo de obstinação do
crescimento econômico e buscar melhoria de outros aspectos da vida social e
econômica dos cidadãos de um país.
REFERÊNCIAS
BRESSER-PEREIRA, Luiz
Carlos. Crescimento e desenvolvimento
econômico
. Rio de Janeiro: Fundação Getulio Vargas, 2008.
SINGER, Paul Israel. O”
milagre brasileiro”: causas e consequências
. São Paulo: CEBRAP, 1972.
FURTADO, Celso (1967) Teoria
e Política do Desenvolvimento Econômico
. São Paulo: Companhia Editora
Nacional.
[email protected]

Graduado em Ciências Sociais pela UFPI, mestre em Educação pela UNIR e docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí.

View more articles Subscribe
Leave a response comment2 Responses
  1. Suellen Mayara
    dezembro 01, 16:34 Suellen Mayara

    Interessante, foo bastante últil para o meu aprimoramento deste conhecimento

    reply Reply this comment
  2. Suellen Mayara
    dezembro 01, 16:34 Suellen Mayara

    Interessante, foo bastante últil para o meu aprimoramento deste conhecimento

    reply Reply this comment
mode_editLeave a response

menu
menu
%d blogueiros gostam disto: