Por que não cumpriremos nossas promessas de ano novo?*

Por que não cumpriremos nossas promessas de ano novo?
Por Cristiano das Neves Bodart
Ano novo e as mesmas promessas de sempre: vou estudar mais, vou dar mais atenção aos meus amigos, vou economizar dinheiro para comprar algo…
Por que todo ano as pessoas fazem promessas a si mesmas e não as cumprem? A Sociologia nos ajuda a entender isso.
Nós possuímos habitus que nos faz agir de uma dada forma. O habitus seria a predisposição a agir de uma dada maneira. Este habitus adquirimos por meio do processo de socialização. Dependendo das experiências que temos ao longo de nossa vida vamos construindo valores e crenças (que nos fornece uma perspectiva do mundo) que nos orientará em nossas ações (grosso modo, podemos dizer que o habitus seria essa predisposição motivada pelas nossas crenças e valores). Por exemplo, se eu tive um contato duradouro com pessoas pacíficas (ao longo de minha criação), frente a uma briga, quase que instintivamente buscarei evitar a confusão. Mas se, ao contrário, eu tiver tido contatos ao longo de minha educação mais duradoura com pessoas violentas eu, quase que instintivamente, agirei de forma violenta frente a uma briga (muitas vezes nem percebemos que fazemos escolhas de como agir, isso devido o habitus estar intrínseco em nossas vidas). Terei possivelmente a crença de que não posso “levar desaforo para casa”. Essas atitudes são, em grande parte, determinada pelo habitus que possuímos.
Voltando as promessas do ano novo. Quando fazemos promessas para o novo ano, geralmente estão ligadas a algo que naturalmente não o fizemos. Muitas vezes não o fizemos por não ser parte de nosso costume, nosso habitus não nos “força” a agir ou fazer aquilo. Como o habitus é produzido ao longo de nossa educação mais duradoura, ou melhor, ao longo de nosso processo de socialização, teremos dificuldades para cumprir algumas promessas que fogem de nossas atitudes comuns ou habituais (veja que essa palavra vem de habitus). O ano pode ser novo, mas nosso habitus são antigos.
Não conseguimos mudar nosso habitus de um dia para o outro. Por isso não cumpriremos muitas de nossas promessas. Isso não será de propósito, apenas não estaremos predispostos (disposição prévia) a tais novas atitudes.
*texto originalmente publicado aqui em 2012.
Cristiano Bodart Bodart

Graduado em Ciências Sociais, doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP). Professor do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e docente do Centro de Educação dessa mesma instituição de ensino. Fundador e editor do Blog Café com Sociologia. Pesquisa as temática "movimentos sociais" e "ensino de Sociologia".

View more articles Subscribe
comment No comments yet

You can be first to leave a comment

mode_editLeave a response

menu
menu
%d blogueiros gostam disto: