Não podemos permitir que a lama seja jogada para “debaixo do tapete”

 
 
Poema: Força Mariana
Autor: Luiz Augusto*
Pobre Mariana,
 esquecida, abandonada.
Sofredora Mariana, sem peixes em suas águas.
Pobre Mariana, desconhece a compaixão
e agora o que lhe resta é viver na solidão.
Pobre natureza que tanto sofre e apodrece.
Enquanto o homem capitalista pouco liga e enriquece.
O Dinheiro entra e o crime que sai
ninguém sabe e ninguém viu
e a justiça se desfaz.
Força Mariana.
*Acadêmico de Ciências Sociais e Publicitário.
 
 
 
Não podemos permitir que a lama seja jogada para debaixo do tapete. Trata-se do maior desastre ambiental da História do Brasil. Saiba mais em: https://g1.globo.com/minas-gerais/desastre-ambiental-em-mariana/ 
Abaixo assinado que pede por justiça:
 
 
 
 
 
Cristiano Bodart Bodart

Graduado em Ciências Sociais, doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP). Professor do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e docente do Centro de Educação dessa mesma instituição de ensino. Fundador e editor do Blog Café com Sociologia. Pesquisa as temática "movimentos sociais" e "ensino de Sociologia".

View more articles Subscribe
comment No comments yet

You can be first to leave a comment

mode_editLeave a response

menu
menu
%d blogueiros gostam disto: