Dica de FIlme: O Assalto ao Trem Pagador

Ficha técnica
(O Assalto ao Trem Pagador)
Policial, Brasil, 1962, 103 min; PB. Direção: Roberto Farias.

Sinopse
Baseado num caso real ocorrido no Rio de Janeiro em 1960. O bando de Tião Medonho atacou e assaltou o trem pagador da Central do Brasil, entre Japeri e Paes Leme, explodindo os trilhos com dinamite. Armados de revólveres e metralhadoras, seis assaltantes levaram 27 milhões de cruzeiros e mataram um homem. O caso só foi encerrado um ano depois, com a prisão dos culpados.

Reflexões Sociológicas
Baseado em fatos reais, o diretor expõe uma clara divisão hierárquica do trabalho, baseada na posição de classe e na raça – os negros favelados, liderados por Tião Medonho executaram o crime e Peru Grilo, que se diz emissário de um suposto Engenheiro, é o mentor intelectual da operação criminosa.

A situação de pária dos favelados está pressuposta na narrativa de Roberto Faria, inclusive na ideia de que o assalto ao trem pagador só poderia ser obra de estrangeiros, pois brasileiros não seriam capazes de executar tamanha proeza. É interessante o diálogo entre Edgar e sua mulher. Diz ele: – “Pobre não pode passar de ladrão de Galinha! Roubar pouco é que dá cadeia”. E a mulher arremata: “Mas não dá morte, e tu, por ter roubado feito rico pode acabar morto.”

Sugestões temáticas:
– Discriminação                                      – Pobreza                                    – Relações de trabalho
– Desigualdade                                      – Racismo                                    – Periferia

Mais informações:
Filme clássico do cinema brasileiro. No interior do estado do Rio de Janeiro, em 14 de junho de 1960, cinco mascarados armados de metralhadoras e revólveres, liderados por Tião Medonho, assaltaram o trem pagador da estrada de ferro Central do Brasil. A maioria dos assaltantes, com exceção de Grilo Peru, Edgar e Tonho, são negros favelados do Rio de Janeiro.

Para não despertar suspeitas da polícia, eles decidem só gastar no máximo dez por cento do produto roubado. Entretanto, começam a surgir na favela acontecimentos que tendem a prejudicar o sigilo dos assaltantes.

Grilo Peru, mentor do assalto, jovem branco, se entrega ao luxo da zona sul e não aceita as restrições impostas por Tião Medonho. Tenta fugir do País, mas é morto pelo negro favelado.

Finalmente, Miguel, compadre de Tião Medonho, trai a quadrilha, denunciando os favelados. A polícia fecha o cerco sobre os assaltantes, até chegar em Tião Medonho.

Com os favelados, a polícia age com vigor, transgride direitos na busca pelo dinheiro do assalto e seus executores. Os jornalistas aparecem movidos pelo puro sensacionalismo, desprezando o drama humano e social que existe por trás da notícia do assalto ao trem pagador.  (Adaptado de Tela Crítica).

Fonte: http://www.sociologia.seed.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=236#
ronielsampaio@gmail.com

Graduado em Ciências Sociais pela UFPI, mestre em Educação pela UNIR e docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí.

View more articles Subscribe
Leave a response comment1 Response
  1. Dana
    agosto 24, 08:15 Dana

    Eu assisti esse filme recentemente, depois que eu vi o cineasta Roberto Farías em um filme chic “O Clube” (a propósito, eu sugiro que você assistir a este filme – http://filmesonlinegratis.club/395-o-clube-2015.html ). E o velho filme é emocionante e agradável ….

    reply Reply this comment
mode_editLeave a response

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *

menu
menu
%d blogueiros gostam disto: