Site icon Blog Café com Sociologia

Esquema síntese da obra “Estigma”, de Erving Goffman

Por Cristiano das Neves Bodart

Apresentamos nesta postagem um esquema síntese das principais ideias apresentadas da obra “Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada”, de Erving Goffman.

Goffman é um dos mais conhecidos e importante teóricos do Interacionismo Simbólico. Recomendamos que esse esquema síntese seja “utilizado” apenas após a leitura da obra, não sendo produtivo substituí-la.

Como ponto de partida, dois trechos da obra de Goffman nos ajudam a compreender seu conceito de estigma. Para ele,

Enquanto o estranho está à nossa frente, podem surgir evidências de que ele tem um atributo que o torna diferente de outros que se encontram numa categoria em que pudesse ser incluído, sendo, até, de uma espécie menos desejável […]. Assim deixamos de considerá-la criatura comum e total, reduzindo-a a uma pessoa estragada e diminuída. Tal característica é estigma, especialmente quando o seu efeito de descrédito é muito grande […] (GOFFMAN, 2017, p. 12).

Ainda,

O termo estigma, portanto, será usado em referência a um atributo profundamente depreciativo, mas o que é preciso, na realidade, é uma linguagem de relações e não de atributos. Um atributo que estigmatiza alguém pode confirmar a normalidade de outrem, portanto ele não é, em si mesmo, nem horroroso nem desonroso (GOFFMAN, 2017, p. 13).

Segue o esquema síntese:

 

Baixe AQUI a versão em PDF 

Veja AQUI esquema sobre o Interacionismo Simbólico de Blumer

 

Referência

GOFFMAN, Erving. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. 4º ed. Rio de Janeiro: LTC, 2017.

Sair da versão mobile