Site icon Blog Café com Sociologia

Tema do ENEM: os seis temas de Sociologia mais cobrados no exame

Tema do ENEM relacionado à sociologia

Tema do ENEM relacionado à sociologia

Você já deve ter se perguntado:  Qual tema do ENEM relacionado à sociologia mais aparece nas provas?  Faz quase dez anos que nós temos pesquisado a participação da Sociologia nos sistemas de avaliação externos à escola (FRAGA; MATIOLLI, 2013, 2014, 2015a, 2015b, 2018; MATIOLLI, 2020). Tal pergunta é  frequente entre professores dessa disciplina e estudantes e este texto pretende utilizar nossa experiência de pesquisa para te ajudar a ter uma boa noção.

Por Thiago Oliveira Lima Matiolli[1] e Alexandre Barbosa Fraga[2]

1- Competências e habilidades

Acima de tudo, o ENEM busca avaliar competências e habilidades por áreas de conhecimento. A Matriz de Referência de Ciências Humanas e suas Tecnologias é formada por 30 habilidades organizadas em cinco competências: “Compreender os elementos culturais que constituem as identidades”, “Compreender as transformações dos espaços  geográficos como produto das relações socioeconômicas e culturais de poder”, “Compreender a produção e o papel histórico das instituições sociais, políticas e econômicas, associando-as aos diferentes grupos, conflitos e movimentos sociais”, “Entender as transformações técnicas e tecnológicas e seu impacto nos processos de produção, no desenvolvimento do conhecimento e na vida social” e “Utilizar os conhecimentos históricos para compreender e valorizar os fundamentos da cidadania e da democracia, favorecendo uma atuação consciente do indivíduo na sociedade”.[3]

Essas competências e as 30 habilidades associadas a elas, comuns à área de Ciências Humanas, delimitam um conjunto possível de objetos de conhecimento, tais como: “Diversidade cultural, conflitos e vida em sociedade”, “Formas de organização social, movimentos sociais, pensamento político e ação do Estado”, “Características e transformações das estruturas produtivas” e “Os domínios naturais e a relação do ser humano com o ambiente”. Esses objetos de conhecimento são discriminados na Matriz de Referência de Ciências Humanas e suas Tecnologias, mas sem uma delimitação pormenorizada para cada uma das disciplinas (História, Geografia, Filosofia e Sociologia).

2.Temas do ENEM

Apenas a leitura das provas anteriores do exame pode elucidar de forma mais precisa o que é cobrado. A análise que se segue está fundamentada apenas na 1ª aplicação do ENEM de cada ano, de modo que não foram consideradas a aplicação PPL (para pessoas privadas de liberdade), a versão digital do ano de 2020 e aquelas edições nas quais outra aplicação se fez necessária (como em 2010). Além disso, ela está baseada tanto em fontes primárias, isto é, as provas de 2009, 2010, 2011, 2019 e 2020, quanto secundárias, no trabalho de classificação das questões dos demais anos realizado por Souza (2017), Moura (2018) e Ribeiro (2020). Seja por um método ou pelo outro, o período examinado é o de 2009 a 2020.

 

2.1- Tema do ENEM: Mundo do trabalho

O primeiro tema abordado não será o que se mostrou mais presente, mas é muito frequente, com uma média de duas a três questões por prova; trata-se de uma preocupação central da Sociologia desde seu surgimento: o mundo do trabalho. Os itens que abarcam essa temática não exigem muito dos alunos um conhecimento conceitual e teórico do tema, mas especificamente suas transformações ao longo da história, em particular, a partir do século XVIII. Assim, são cobrados os impactos da Revolução Industrial, da reestruturação produtiva e da globalização nas relações de produção. Como desdobramento, há também conteúdos sobre suas configurações mais contemporâneas, nas formas de trabalho análogas à escravidão, terceirização e desmonte da legislação trabalhista.

 

2.2- Tema do ENEM: Globalização

A globalização sim é o tema mais recorrente das provas de humanas, com destaque para o desenvolvimento científico-tecnológico e suas implicações em diversas dimensões da vida social, desde o já citado mundo do trabalho, passando pela organização da produção, aumento das desigualdades econômicas/regionais, nas formas de sociabilidade, fluxos migratórios e nas interações políticas (como no caso dos movimentos sociais). Aqui, destaca-se também uma reflexão sobre os meios de comunicação em massa e as tecnologias de informação e comunicação.

É preciso ressaltar o aspecto interdisciplinar dos itens, em diálogo com conhecimentos de História, principalmente, no aspecto das transformações sociais do século XIX, e Geografia, no que tange à globalização. O diálogo com a Geografia faz-se também nas abordagens sobre o meio ambiente, nas quais se destacam os conflitos em torno de questões ambientais, as definições da sustentabilidade (e os efeitos para gerações futuras) e a relação entre seres humanos e natureza, estabelecendo ainda pontes com a Filosofia.

 

2.3- Tema do ENEM: Democracia e cidadania

No diálogo com a Filosofia também se incluem questões que abordam política, democracia e cidadania: as que remetem à cidadania na Grécia Antiga (foram citados textos de Aristóteles em quatro edições), à Filosofia política moderna (com Maquiavel, Montesquieu e Hobbes presentes em algumas questões) e mesmo aos desafios éticos contemporâneos. Mas, dentro do aspecto político, são discussões presentes no âmbito mais sociológico: políticas públicas, direitos sociais no Brasil e formas de participação popular.

 

2.4 Tema do ENEM: Movimentos Sociais

Merece um aparte nessa dimensão a questão dos movimentos sociais. Sobretudo nos que são conhecidos como “novos movimentos sociais” – nos itens em que se fizeram presentes, mais de uma vez se destacou a valorização da identidade cultural como característica distintiva. Assim, transcendendo o elemento dos movimentos sociais, estão muito presentes na prova: conteúdos de sexualidade e gênero; relações étnico-raciais, presentes desde abordagens da escravidão brasileira aos movimentos por direitos civis nos EUA; homossexualidade; juventude e suas demandas; organizações indígenas; e um destaque para a questão do corpo, com duas questões no intervalo estudado sobre obesidade.

 

2.5 Tema do ENEM: Cultura

Nas temáticas mais estritamente sociológicas, destaca-se (muitas vezes em diálogo com a História) a cultura como formadora de comportamentos socialmente aceitos e de pertencimento social, desde práticas de sepultamento até hábitos alimentares. O tema também mobiliza questões sobre tradições populares, movimentos culturais, ação política (desde músicas de denúncia até manifestos literários) e dinâmicas da Indústria Cultural.

 

2.6 Tema do ENEM: Controle social

E, como assunto sociológico por excelência, são cobrados conteúdos que tratam do controle social, seja em relação ao processo de socialização – a internalização de padrões culturais pelos indivíduos ao longo de sua trajetória –, seja no que diz respeito às técnicas e aos mecanismos de dominação e repressão política. No primeiro sentido, associado aos processos de integração social, destaca-se o acionamento do trabalho de Norbert Elias e Anthony Giddens.

3-Autores mais cobrados

Já que mencionamos autores, alguns se fizeram presentes mais de uma vez. Tendo em vista questões de ordem interdisciplinar, o historiador Nicolau Sevcenko, o geógrafo Carlos Walter Porto Gonçalves e o sociólogo Ricardo Antunes, cujos fragmentos de textos foram utilizados, ao menos, três vezes; por três vezes também estiveram presentes, com textos próprios ou de comentadores, Maquiavel e Jürgen Habermas. Apareceram duas vezes: Michel Foucault, Montequieu, Milton Santos, Tocqueville, Norberto Bobbio e os já citados Elias e Giddens.

Alguém pode estar se perguntando onde estão os fundadores da Sociologia? De acordo com o material consultado, trechos de obras de Karl Marx (sobre trabalho, capitalismo e dialética), Max Weber (tratando de racionalização e modernidade) e Émile Durkheim (envolvendo uma discussão sobre metodologia das Ciências Sociais) apareceram apenas uma vez. Escapando da dimensão estritamente sociológica, cabe destacar a presença recorrente de trechos de Aristóteles e Eric Hobsbawm (como fonte bibliográfica para contextualizar as questões).

Os autores citados nos parágrafos acima são todos homens, mas, salvo os clássicos, trouxemos apenas aqueles que se fizeram presentes mais de uma vez. Todavia, é interessante destacar textos de Hannah Arendt e Simone de Beauvoir, mas também um fragmento de Ermínia Maricato. A forma de referência dos textos do ENEM é a mais comum, privilegiando os sobrenomes, de modo que não permite uma diferenciação imediata entre autoras e autores. Contudo, é importante destacar essa questão, de modo a provocar mais uma frente de pesquisa; e, por conseguinte, averiguar, também, a presença de intelectuais negras/os como fonte consultada para a contextualização dos itens.

 

Referências

FRAGA, Alexandre Barbosa; MATIOLLI, Thiago. Sociologia no ENEM: uma análise crítica. Revista Sociologia. São Paulo: Editora Escala. Ano IV, edição 46, abril/maio de 2013. pp. 12-17.

FRAGA, Alexandre Barbosa; MATIOLLI, Thiago. Os conteúdos de Sociologia nos vestibulares e no Enem: uma discussão sobre conhecimento prévio. Saberes em perspectiva, v. 4, p. 195-215, 2014.

FRAGA, Alexandre Barbosa; MATIOLLI, Thiago. Os impactos da presença da Sociologia nos sistemas de ingresso ao ensino superior: o que dizem os professores. Em tese. (Florianópolis), v. 12, p. 103-123, 2015a.

FRAGA, Alexandre Barbosa; MATIOLLI, Thiago. “A Sociologia no vestibular e no Enem: o caminho da legitimidade pelo enquadramento”. In: HANDFAS, Anita; MAÇAIRA, Júlia Polessa; FRAGA, Alexandre Barbosa (Org.). Conhecimento escolar e ensino de Sociologia: instituições, práticas e percepções. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2015b, p. 252-278.

FRAGA, Alexandre Barbosa; MATIOLLI, Thiago. “Contribuições da Sociologia para a redação do Enem”. In: MAÇAIRA, Julia Polessa; FRAGA, Alexandre Barbosa. (Org.). Saberes e práticas do ensino de Sociologia. Rio de Janeiro: Autografia, 2018, p. 329-352.

MATIOLLI, Thiago Oliveira Lima. “ENEM, o ensino de Sociologia e o”. In: BRUNETTA, Antonio; BODART, Cristiano; CIGALES, Marcelo. Dicionário do Ensino de Sociologia. Maceió, AL: Editora Café com Sociologia, 2020. Pp. 114-118.

MOURA, Michelle Thomé. A presença da Sociologia nas questões objetivas do ENEM nos anos de 2015, 2016 e 2017. 2018. 119 f. Monografia (Especialização em Ensino de Sociologia – CESPEB). Universidade Federal do Rio e Janeiro, Rio de Janeiro, 2018.

RIBEIRO, Flávia Ghignone Braga. A presença e a abordagem da Sociologia no Exame Nacional do Ensino Médio a partir das diretrizes e orientações curriculares oficiais para a disciplina. Dissertação (Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública). Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2020.

SOUZA, Agnes Cruz de. A sociologia escolar: imbricações e recontextualizações curriculares para a disciplina. 2017. 363 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais). Universidade Estadual Paulista (UNESP), São Paulo, 2017.

[1] Professor do Colégio Universitário Geraldo Reis da Universidade Federal Fluminense (COLUNI/UFF) e do Colégio Marista São José Unidade Tijuca. Doutor em Sociologia pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia da USP. E-mail: thiagoolmatiolli@gmail.com

[2] Professor da Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro (Seeduc-RJ) e da Faculdade de Educação da UFRJ. Pós-doutorando e Doutor em Sociologia pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia da UFRJ. E-mail: alexbfraga@yahoo.com.br

[3] https://download.inep.gov.br/download/enem/matriz_referencia.pdf

Sair da versão mobile