Bagunça sincronizada

Por Karla
Cristina da Silva*  

 Das paredes econômicas e da pouca proteção acústica, dá para escutar a respiração cansada da cidade. Algo comemora um nascimento, um noivado, um novo emprego… Os carros buzinam escandalosos. As pegadas pesadas na calçada. O solo parece engolir os passos dos homens máquinas… Um vai, outro vem… Com seus hardwares fisicamente esculpidos e softwares minuciosamente programados. Todos iguais nas diferenças, singulares idênticos. Estranhos conhecidos. As sirenes, os latidos, os miados, misturam-se aos murmúrios dos zombies tecnológicos. Nas mãos, a extensão de seus softhardwares ou será hardsoftwares? É certo que não precisam gastar um único kcal. Singulares idênticos. O fechar de portas comerciais. O avião rasante. Pés, pés, pés nas escadas, nas beiradas das portas, sem saber se apertam a campainha ou se correm para longe, para nunca mais voltar… Um resquício de humanidade: indecisão. Sábia indecisão! Pequenas vozes ao longe, brincadeiras, gritos infantis de quem ainda não entrou no jogo da desumanização. Um tilintar de taças… Algo comemora uma alegria… Genuína? Ensaiada? Programada? Ai de quem ousa questionar a imensa linha de montagem: Trabalhe, ganhe, consuma e obedeça às regras! Provavelmente será acusado de pane no sistema. Vai traste! Vai ser reprogramado! Conserta-te e anda! Incongruência… Pois que a salvação está na resistência. No silêncio íntimo das paredes econômicas, habitam alguns softwares ligeiramente desconfigurados, prestando atenção na bagunça sincronizada, ouvindo atentamente a respiração dos pulmões cansados da cidade. Ainda há esperança!

*Karla Cristina da Silva é psicóloga formada pela Faculdade Pitágoras de Ipatinga.

Cristiano Bodart Bodart

Graduado em Ciências Sociais, doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo/USP.

View more articles Subscribe
Leave a response comment1 Response
  1. Rafael Jsilva
    março 12, 13:56 Rafael Jsilva

    Linda observação, hoje em dia a correria nos faz mais centrados naquilo que exercemos. Deixamos as ideias de lado e aceitamos a realidade presente. Gostei muito de sua publicação, continue assim… Meus Parabéns!!! Rafael Júnio da Silva

    reply Reply this comment
mode_editLeave a response

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *

menu
menu
%d blogueiros gostam disto: