Aula de Sociologia no Ensino Médio

Na
academia, grosso modo, sistematizamos os conceitos, criamos uma base teórica e
depois nos debruçamos sobre o objeto a ser estudado. Essa prática ocorre por
entendermos que o que vem aos nossos olhos e ouvidos não são a pura realidade.
O contato com o objeto ocorre sempre de forma duvidosa para que possamos nos
aproximar (amparado com uma referência teórica) da realidade.

Mas
nossos alunos de Ensino Médio são capazes de realizar essa atividade
intelectual? Certamente não! O que fazer então para que suas percepções
ultrapasse o senso comum?
Com
base em minha experiência na docência (11 anos), sugiro uma mudança (que não é
novidade, mas faz-se fundamental ser relembrada e retomada) na prática reflexiva
(certamente não cabe à todos os conteúdos), a fim de atrair a atenção
dos jovens à Sociologia. A proposta é inverter o caminho.
Para
clarear o que apresento neste post irei por parte, são elas:
1. Como
inverter o caminho? 2. Por que inverte-lo? 3. Isso não compromete o saber
sociológico? 
11.    
Como inverter o caminho do saber sociológico?
R: Para tornar mais fácil a compreensão irei exemplificar. Se
busco trabalhar o tema “papéis sociais”, quero, por exemplo, que no fim da aula
que o educando saiba o que é papel social, como os papéis sociais são
representados, qual sua importância e como se dá o conflito entre papéis
sociais.
Formato tradicional: explico os conceitos e depois dou os
exemplos;
Minha proposta: busque partir do real e depois vai pontuando o
nome conceitual explicando como o conceito facilita expressar o fenômeno.
Exemplo: inicie perguntando aos alunos: “quem na sala de aula já trabalhou com
seu pai?” “Você o chamava de pai e ele a você de filho no horário e local de
trabalho?” “Ele te tratava como filho a todo o memento ou como funcionário?”
“Por que?”
A partir desses questionamentos vai juntamente com os alunos
(nesse formato eles se sentirão mais a vontade de participarem da aula por
acharem que sabem o quanto você, uma vez que trata-se de vivencia e não de
conhecimento acadêmico). Sem dar, inicialmente, nomes conceituais vai buscando
descrever o fenômeno. Após desenhado o fenômeno, agora sim, apresente aos
alunos os conceitos sociológicos e use da teoria para explicar aquilo que não
foi possível ser explicado pelos alunos. Desta forma será possível despertar
maior interesse pela aula de Sociologia.
22.    
Por que inverter?
R: Para partir do conhecimento do aluno e o torna-lo
importante na produção da aula. Ele produzirá grande parte da aula!
33.    
Isso não compromete o saber sociológico?
R: Não, por que o professor estará partindo de um ponto não
científico mas terminará com uma abordagem sociológica do fenômeno em estudo.

Visite também os blogs 
Estou correndo na frente, Mangue Sociológico e Ciência Social Ceará
Cristiano Bodart Bodart

Graduado em Ciências Sociais, doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo/USP.

View more articles Subscribe
Leave a response comment5 Responses
  1. Léa Paraense Serra
    maio 30, 21:56 Léa Paraense Serra

    Oi, professor, com base na minha experiência (quase três décadas), compartilho a informação de que a "notícia" também é interessante nessa metodologia que você sugere. Os alunos têm muita participação, por conhecerem ou pela própria curiosidade.

    Parabéns! sempre fazendo post interessante.

    reply Reply this comment
  2. Cristiano Bodart Bodart
    maio 30, 22:03 Cristiano Bodart Bodart

    Agradeço por "endoçar" o que coloquei acima no post e pelo elogio.

    reply Reply this comment
  3. Danielle
    junho 03, 22:10 Danielle

    Cristiano gostaria de parabenizar pelo seu blog que está me ajudando muito no meu inicio de carreira de professora de sociologia, pois como vim de ongs, senti muita dificuldade de buscar dinâmicas para sala de aula para lecionar sociologia, uma vez que eu já fazia dinamicas para grupos de adultos e jovens…
    abs

    reply Reply this comment
  4. Cristiano Bodart Bodart
    junho 04, 01:21 Cristiano Bodart Bodart

    Danielle, bom que tenha sido proveitoso para você.
    Sinta-se a vontade em desfrutar desse blog.

    reply Reply this comment
  5. Daniel Damiani
    dezembro 04, 23:01 Daniel Damiani

    Sou professor novo, estou buscando mais informação, mas isto que você descreve está melhor sistematizado pelo Prof. Mauro Iasi, da USP, numa metodologia de educação popular que ele denomina de "metodologia dialética", numa linha marxista, é possível ser consultado no livro "o processo de consciência".

    reply Reply this comment
mode_editLeave a response

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *

menu
menu
%d blogueiros gostam disto: