O que é Coerção Social?

Foto: Cristiano Estrela/ Agencia RBS
Por Cristiano Bodart

Coerção social. Talvez  você não conheça essa palavra, mas convive com a coerção social a todo tempo; dentre que acorda até a hora de dormir.
O termo
coerção deriva do idioma Latim, coercio,
“ação de reprimir, de refrear; repressão; castigo”. Ao agrupar as palavras
coerção e social, damos origem a expressão cunhada pela sociologia “Coerção
Social”. Nesse sentido, a coerção social é caracterizada pela pressão e/ou
repressão que a sociedade exerce sobre o indivíduo.
A coerção
social manifesta-se por meio das leis e as normas sociais. As normas não
necessariamente estão inscritas em forma de documentos legais. Podem estar
inserida de forma simbólica no espaço, manifestada na sua organização e
estrutura.

A coerção
social pode ser exercida por
um grupo grande ou pequeno de indivíduos,
manifestando-se de forma física ou psicológica. O pressão que sofremos para
usarmos roupas ao sair de casa é um exemplo de coerção social, assim como
usarmos talheres para comer ou não praticarmos assassinatos.
A coerção
social mais eficiente é aquela que é internalizada pelo indivíduo a ponto dele
achar que faz determinadas coisas por sua livre escolha, como por exemplo, colocar uma roupa bonita para ir a uma festa.
Um exemplo
curioso que ganhou os noticiários foi o caso ocorrido na Grande Florianópolis, Santa
Catarina, no bairro São José, onde moradores descontentes com a prática de
prostituição de travestis no bairro resolveram utilizar-se da coerção social
para acabar com a prática. Como a prostituição não é crime, eles não poderiam
acionar o Poder Público para as retirar do local.  Tiveram, então, a ideia de usar a coerção
social sobre a clientela.
Os moradores,
em grupos de 5 a 10 pessoas, passaram a noite na rua por alguns dias
fotografando todo o movimento. Os clientes não querendo ser visto pela
sociedade comprando os serviços das travestis foram se afastando e deixando de frequentar
o local. O resultado foi que as travestis ficaram sem clientes no local e
tiveram que mudar para outra área não residencial.

Cristiano Bodart Bodart

Graduado em Ciências Sociais, doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo/USP.

View more articles Subscribe
Leave a response comment12 Responses
  1. Nícolas Coelho
    janeiro 11, 14:47 Nícolas Coelho

    As coerções sociais mudam conforme a sociedade certo? Se um individuo vai contra a pressão exercida pela coerção da sua sociedade, ao seu ver, quais seirão as consequências?

    reply Reply this comment
  2. med fip
    abril 15, 15:54 med fip

    Na cidade de Santa Catarina? Existe uma cidade chamada Santa Catarina?

    reply Reply this comment
  3. Cristiano Bodart Bodart
    abril 16, 14:07 Cristiano Bodart Bodart

    Med, desculpe pelo erro. estarei corrigindo.

    reply Reply this comment
  4. Anônimo
    outubro 05, 20:33 Anônimo

    Podia citar as fontes né!! Ajudaria bastante em trab acadêmicos, para vermos a bibliografia que usou

    reply Reply this comment
  5. Pâmela Cubas Almeida
    junho 05, 23:23 Pâmela Cubas Almeida

    Muito interessante!

    reply Reply this comment
  6. Welder Lima
    novembro 14, 15:30 Welder Lima

    Muito bom

    reply Reply this comment
  7. Anny Araújo
    janeiro 06, 17:41 Anny Araújo

    Adorei! Muito legal! Pena que tem sempre uma pessoa invejosa para criticar um detalhe.

    reply Reply this comment
  8. Rogério V. Lacerda
    fevereiro 16, 21:00 Rogério V. Lacerda

    Muito bom o artigo, e bem contextualizado o exemplo!

    reply Reply this comment
  9. Diogo Alves Cáceres
    março 21, 00:37 Diogo Alves Cáceres

    Muito bom. Mais claro que isso, só falando de novo. Parabéns!

    reply Reply this comment
  10. Diogo Alves Cáceres
    março 21, 00:50 Diogo Alves Cáceres

    Muito bom. Mais claro que isso, só falando de novo. Parabéns!

    reply Reply this comment
mode_editLeave a response

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *

menu
menu
%d blogueiros gostam disto: