Estado laico e a herança da cultura religiosa

Estado laico e a herança da cultura religiosa

Por Leonardo
Vinícius Xavier de Souza*
O que é um Estado laico? É o mesmo que Estado leigo, que não promove a
expansão de determinada religião em detrimento de outra. No entanto, não se
proíbe diversos tipos de crença. A lógica do Estado laico é deixar a política
livre, separada da religião. É necessário que seja assim para que diversas
formas de fé e crença tenham oportunidades iguais de serem propagadas. Assim se
torna possível a constituição do pluralismo religioso.
Mas há quem diga que no Brasil o
cristianismo católico ainda é imposto. Como exemplo, ainda se vê, em
instituições públicas, o crucifixo com a imagem de Cristo, ou a figura de Santa
Maria, entre outros.
É válido lembrar que vivemos poucos
anos de república comparados ao período colonial. O que nos leva a considerar
que no decorrer de vários séculos de imposição católica houve uma aculturação
de aspectos dessa religiosidade. Portanto, convivemos com característica que é
originalmente da cultura religiosa católica que se desenvolveu e se tornou
parte da cultura brasileira.

Outro exemplo válido de citação são
as festividades de origem católica. Um protestante, estudioso dos preceitos de
sua fé, poderia deixar de participar das festividades juninas dedicadas a São
João, por compreender que sua participação àquele tipo de evento é paradoxal à
sua interpretação das escrituras sagradas, a Bíblia. Por outro lado, existe um
número considerável de pessoas que se declaram protestantes que não acreditam
estar cometendo pecado algum ao participarem dessas festividades. Estes têm as
festas juninas de São João como algo proveniente da cultura brasileira e não as
relacionam a concepções religiosas. Estes são alguns efeitos da aculturação de
costumes católicos disseminados pela colônia e, mais tardar, acoplados a
imigração italiana (de origem católica). Logo, enraizada durante os anos da
colonização, assim permaneceu durante a ascensão do Estado moderno brasileiro,
que se declara laico.
É inegável o fato de que temos uma
herança cultural que parte da religião católica e que, parte das discussões
sobre a laicidade do Estado entram em confronto direto com a cultura do Brasil.
Dessa forma, até quando temos consciência sobre a influência de determinada
religião sobre uma construção eminentemente cultural num país como o Brasil?
Como podemos mensurar a influência que as religiões exercem sobre culturas
locais e nacionais? Até quando, ser um Estado laico não impede as religiões de
se propagarem? E por outro lado, até quando uma vertente religiosa pode se
expressar sem ferir a laicidade de um Estado?
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

COSTA, Maria
Cristina Castilho. SOCIOLOGIA
Introdução à ciência da Sociedade. São Paulo, Editora Moderna, 2009.
DAMATTA,
Roberto. O que é o Brasil?
edição, Rio de Janeiro, Rocco, 2003.
*Bacharel em
Ciências Sociais pela PUC/Minas; licenciado em Sociologia pela UNIMES/SP;
Diretor do Departamento de Imprensa e Comunicação do SINDS/MG (Sindicato dos
Sociólogos de Minas Gerais e professor no Ensino Médio.
Cristiano Bodart

Doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP), professor do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Docente do Centro de Educação da Ufal.

View more articles Subscribe
Leave a response comment2 Responses
  1. Wânia Carvalho
    janeiro 12, 16:32 Wânia Carvalho

    Acho de grande valia esse texto,pois com uma forma mt clara e objetiva mostra a realidade desse tema,tão ignorado pela maioria da nossa sociedade.Sou uma simples cidadã e cristã mas sei distinguir mt bem o certo do errado e neste caso O ERRADO é exatamente continuar mantendo esse sistema absurdo de domínio da religião católica e tmb dos cristãos em geral em nossa sociedade,enquanto os demais seguimentos são rechaçados e até perseguidos.Há ja´chega disso!!! (h)

    reply Reply this comment
    • Leonardo Vinícius Xavier de Souza
      janeiro 13, 00:36 Leonardo Vinícius Xavier de Souza

      Olá Wânia. Na verdade a discussão sobre esse tema é ampla, pois existe uma diferença muito grande entre cultura e religião. E quando a religião passa a ser parte da cultura, devemos olhar de forma mais apurada, tanto o fenômeno social, quanto as concepções conceituais. Existe um blog no qual me dedico a expor artigos somente sobre Sociologia e Religião. Espero que seja útil aos que exploram o assunto. http://sociologiacomreligiao.blogspot.com.br/
      Grande abraço!

      reply Reply this comment
mode_editLeave a response

Deixe uma resposta

menu
menu
%d blogueiros gostam disto: