Site icon Blog Café com Sociologia

O que é Sociologia da Educação?

Sociologia da Educação

Sociologia da Educação

Sociologia da Educação: Conceito, vertentes e situação no país

O que é Sociologia da Educação?

Cristiano Bodart, doutor em Sociologia (USP) Professor do Programa de de Pós-Graduação em Sociologia (Ufal)

A Sociologia da Educação é um ramo ou especialidade da Sociologia, como muitas outras (a exemplo da Sociologia do Conhecimento, Sociologia Política, Sociologia das Emoções, Sociologia urbana, Sociologia Rural, etc.).

A Sociologia, ou Sociologia Geral, tem como objeto de análise os fenômenos sociais e a educação é um deles. Contudo, nem tudo que é estudado pela Sociologia promove o desenvolvimento de um ramo de especialidade. Para que um ramo de especialidade exista é necessário que parte significativa da comunidade científica se volte para um fenômeno (tema ou objeto). Geralmente, a consolidação de um ramo de pesquisa envolve, por um tempo considerável, diversos intelectuais, a promoção de congressos acadêmicos específicos, revistas especializadas, grupos de pesquisas sobre o tema (ou objeto), instituições se mobilizando em torno da questão, etc.

A Educação é um objeto de análise sociológica desde o surgimento desta ciência, entre o final do séc. XIX e início do séc. XX. Vamos encontrar, por exemplo, trabalhos inteiros sobre a Educação na obra de Émile Durkheim (BODART, 2020). Tal Ciência Social ao voltar-se para a Educação por tanto tempo e por mobilizar muitos pesquisadores consolidou o que conhecemos como Sociologia da Educação ou Sociologia Educacional.

O desenvolvimento 

A Sociologia da Educação se desenvolveu a partir dos trabalhos dos autores clássicos da Sociologia, mesmo aqueles que não se dedicaram a estudar a educação formal ou informal. Dentre as contribuições na Sociologia clássica encontramos Émile Durkheim, Marx Weber e Karl Marx (RODRIGUES, 2003).

As perspectivas ou correntes desenvolvidas pelos sociólogos clássicos tiveram impactos sobre os estudos posteriores. Por Sociologia clássica nos referimos à Sociologia organicista, weberiana e marxiana. O Quadro 1 apresenta uma síntese dessas perspectivas.

.

Quadro 1 – Síntese de perspectivas clássicas da Sociologia da Educação.

Correntes Premissa(s) Autor referência
Sociologia organicista A Educação formal e a escola têm a função de (re)produzir a consciência coletiva e evitar patologias sociais, proporcionando uma sociedade harmônica. Émile Durkheim
Sociologia weberiana As escolas são instâncias burocratizadas que têm a função de acelerar o preparo especializado dos indivíduos para atuar no mercado de trabalho, atendendo as exigências do capitalismo e da sociedade moderna. Max Weber
Sociologia marxiana A escola é uma instância burguesa usada para reproduzir as desigualdades sociais por meio da transmissão das ideologias dominantes que visam manter o status quo. Karl Marx

Fonte: Elaboração própria.

.

Das perspectivas clássicas desdobraram-se novas abordagens, o que possibilitou a consolidação do que chamamos de Sociologia da Educação. O Quadro 2 apresenta uma síntese de algumas das mais proeminentes perspectivas da Sociologia educacional contemporânea (algumas nem tão contemporâneas assim).

.

Quadro 2 – Síntese de perspectivas contemporâneas da Sociologia da Educação.

Correntes Premissa(s) Autor referência
Sociologia marxista gramsciana A Educação formal e a escola têm a função de produzir intelectuais orgânicos responsáveis pela disputa de ideias e a consolidação de pensamentos hegemônicos. Antonio Gramsci
Sociologia marxista althusseriana As escolas são aparelhos ideológicos do Estado, criadas para transmitir ideologias da classe dominante. Louis Althusser
Sociologia disposicionalista As escolas são espaços de reprodução social gerado pelos mecanismos de valorização do capital cultural, arbitrariamente definido em benefício de uma classe dominante que detêm esse tipo de capital e possui habitus que facilitam sua reprodução. Pierre Bourdieu

Fonte: Elaboração própria.

.

Os desdobramentos da Sociologia educacional fazem com que especialistas desse ramo se voltassem às mais variadas dimensões da Educação, seja ela formal ou informal. A educação formal é aquela que ocorre por meio de um projeto político pedagógico sistematizado de maneira a maximizar o processo de aquisição de informações e o desenvolvimento dos conhecimentos “escolares”; esses que são resultados da seleção e recontextualização dos conhecimentos científicos.

O quadro 3 apresenta algumas das preocupações da Sociologia da Educação.

.

Quadro 3 – Algumas das preocupações da Sociologia da Educação

Objetos geralmente que recebem uma abordagem macrossociológica Objetos geralmente que recebem uma abordagem microssociológicas
Políticas Educacionais Cultura escolar
Currículos Currículo
Reprodução social Discursos
Desigualdades e estratificações sociais Interações sociais na escola
Sistemas ideológicos Conflitos

Fonte: Elaboração própria.

.

Como apresentado no Quadro 3, a Sociologia educacional volta-se tanto para questões macrossociológicas, como para questões microssociológicas. Em síntese, nas análises macrossociológicas as principais preocupações estão relacionadas aos processos institucionais e organizacionais, que demandam análises para além dos limites do espaço social e cultural da escola. Nas análises microssociológicas o foco, ou recorte, está nas questões relacionadas diretamente aos indivíduos e aos grupos menores, geralmente delimitadas às comunidades escolares e circunvizinhas que estão diretamente relacionadas à escola.

A Sociologia da Educação no Brasil

No Brasil vamos encontrar na principal entidade do campo sociológico, a Sociedade Brasileira de Sociologia, um Grupo de Trabalho (GT) voltado à Sociologia da Educação e uma Comissão de Ensino envolvida com o ensino de Sociologia. Contudo, considerando a pós-graduação stricto sensu no Brasil, a Sociologia educacional ainda se encontra em uma situação periférica, ainda que alguns poucos programas tenham linhas de pesquisas consolidadas (OLIVEIRA; SILVA, 2016).

A despeito de estar em situação periférica na pós-graduação brasileira, o referido ramo desta Ciência Social tem marcado presença em praticamente todos os cursos de licenciatura e em programas de pós-graduação stricto sensu em Educação. Além disso, autores consagrados, como Pierre Bourdieu e Bernard Lahire, dedicaram grandes esforços nesse ramo, abrindo espaços para novas e fecundas pesquisas.

.

Referências Bibliográficas

BODART, Cristiano das Neves (Org.). Apresentação. In: ________. Sociologia & Educação: debates necessários, vol. 1, 2ª ed. Maceió: Editora Café com Sociologia, 2020.

OLIVEIRA, Amurabi; SILVA, Camila Ferreira da. A Sociologia e os Sociólogos da Educação no Brasil. Revista brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 31, n. 91, e319108, 2016.

RODRIGUES, Alberto Tosi. Sociologia da Educação. Rio de Janeiro: DP&A editora, 2003. (coleção “O que você precisa saber sempre…).

Como citar este texto:

SOBRENOME, Nome. O que é Sociologia da Educação. Blog Café com Sociologia. mar. 2021. Disponível em: <https://cafecomsociologia.com/sociologia-da-educacao/>. 

 

[1] Doutor em Sociologia (USP). Docente do Centro de Educação da Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Editor do Café com Sociologia

Versão PDF AQUI

Sair da versão mobile