A biografia no campo da Sociologia: contribuições de Norbert Elias

A biografia no campo da Sociologia: contribuições de Norbert Elias

Por Cristiano das Neves Bodart

As biografias, muitas vezes, são apontadas como meras “fofocas”. Em se tratando de biografias de indivíduos desconhecidos, poucos são os que se interessam por elas. 
A sociologia, tradicionalmente, se preocupou com os fenômenos sociais, deixando de lado, por muito tempo, a preocupação com o indivíduo. Além dos estudos de sociologia reconhecidos posteriormente, como os trabalhos de Simmel, destaca-se um que, ao meu ver, é uma obra sociológica incrível. Estou me referindo a uma “biografia”. Parece paradoxo, mas na obra “Mozart: sociologia de um gênio” Norbert Elias nos fornece, para além da biografia do músico, uma metodologia sociológica que nos proporciona meios compreensão da “história de vida” atrelada ao “contexto histórico do indivíduo”. Destacamos que o indivíduo, nesse caso, não é o centro análise da obra, mas sim a sociedade na qual está inserida esse indivíduo. 
A proposta de Elias é problematizar as relações entre indivíduo e sociedade, buscando compreender como os indivíduos buscam “resistir” as “pressões sociais” e como essas limitam as possibilidades dos indivíduos. Vemos então a tão cara discussão agencia x indivíduo ou atores x estrutura.
A biografia de Wolfgang Amadeus Mozart, personagem estudado na obra, interessa ao estudo da sociologia à medida que sua trajetória é marcada pela história da época. Seu desejo por reconhecido de sua produção musical e a vontade de exercer seu talento de forma autônoma se vê confrontada com a estrutura social da época.

“[…] um músico que se deseja ser socialmente reconhecido como artista sério e, ao mesmo tempo, quisesse manter a si e a sua família, tinha de conseguir um posto na rede das instituições da corte ou em suas ramificações” (ELIAS, 1993, p. 18).

Por um lado o indivíduo, por outro, a estrutura social da época. Desta forma, Elias capta a tensão entre indivíduo e sociedade, ao mesmo tempo que ao apresentar a biografia do músico, expõe aos leitores a estrutura social da “sociedade de corte” e evidencia a “teia de relações” na qual está envolvida o indivíduo. Nessa direção, Elias afirma que:

“[…] em última análise, até mesmo tais decisões individuais ficam obscuras quando não se consideram os aspectos relevantes dos processos sociais não-planejados em que ocorram, e cuja dinâmica determina, em grande parte, suas consequências.” (ELIAS, 1993, p. 48).

Elias nos alerta, que a vontade individual não pode ser considerada fora da dimensão social, assim como a biografia de cunho sociológico não pode desconsiderar o momento histórico e a estrutura social estabelecida.
Dito isto, acreditamos que Norbert Elias nos indica um caminho metodológico onde é possível buscarmos a compreensão das estruturas sociais de uma época a partir do estudo “biográfico”, ainda que de indivíduos anônimos.

Referência
ELIAS, Norbert. Mozart: sociologia de um gênio. Rio de janeiro:. Editora Zahar, 1993.

Cristiano Bodart Bodart

Graduado em Ciências Sociais, doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP). Professor do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e docente do Centro de Educação dessa mesma instituição de ensino. Fundador e editor do Blog Café com Sociologia. Pesquisa as temática "movimentos sociais" e "ensino de Sociologia".

View more articles Subscribe
Leave a response comment1 Response
  1. Cláudio Márcio
    novembro 09, 02:51 Cláudio Márcio

    Sim! Concordo com você Cristiano…a proposta de Elias nesta obra é perceber como os indivíduos sociais estão "presos" a redes de interdependência em disputa. Assim, para compreender o indivíduo, deve-se buscar analisar seu contexto. Ou seja, há uma autonomia relativa na prática dos indivíduos sociais.

    reply Reply this comment
mode_editLeave a response

menu
menu
%d blogueiros gostam disto: