Doze posturas essenciais para ensinar sociologia no Ensino Médio

Por Roniel Sampaio Silva

1- Domínio das teorias sociológicas fundamentais
Um bom professor de sociologia precisa conhecer muito bem os clássicos (Durkheim, Marx e Weber) e as correntes fundamentais da sociologia para compreender como se deu o desenvolvimento do pensamento sociológico. Isso é fundamental para a compreensão de outras teóricas sociológicas.

2- Didática
Saber o conteúdo não é o suficiente para ser um bom professor. É necessário tornar o assunto compreensível e claro. O grande desafio do professor de sociologia é transpor os resultados de uma disciplina tradicionalmente “academicista” em uma “saber sábio”, primando pelo rigor teórico e ao mesmo tempo proporcionar a compreensão do assunto. Isso requer planejamento tendo em vista que um exemplo mal dado ou uma explicação rebuscada e não-linear pode comprometer o aprendizado.

3- Contextualização
Relacionar os conteúdos aprendidos com os eventos históricos do país e do mundo fortalecem o aprendizado e fomenta mais interesse para aprender a pensar sociologicamente. Relacionar com outras áreas do conhecimento Também potencializa a experiência de aprendizado.

4- Posicionamento
Para o professor de sociologia posicionar-se é importante. Não de uma maneira cegamente militante, mas de uma forma crítica e flexível. Primeiro porque o posicionamento é uma forma honesta de mostrar aos alunos que o professor tem suas preferências e isso deve ser considerado pelo público para um filtro mais adequado. Segundo porque posicionar-se problematiza pontos de vista e fomentam um debate que enriquece e enaltece os envolvidos.

5- Respeito aos pontos de vista
Entender que existem pontos de vistas diferentes e que a sociologia pode ajudar a enxergar vários pontos de vistas diferentes de uma forma ampla é fundamental. É também fundamentalmente necessário que o professor tenha a compreensão que muitos dos estudantes são de realidades e têm referências distintas as quais lhes dão leituras e percepções diferentes. No bojo dessa dialética, o professor deve mostrar como a sociologia pode contribuir para visualizar os problemas e dilemas sociais de uma forma mais ampla.

6- Disposição para buscar conhecer o que discorda
O debate faz parte da natureza das ciências. Nas ciências sociais o debate é ainda mais intenso porque se relaciona com percepções e leituras de leigos e especialistas. Por essa razão, o debate faz parte do crescimento profissional do professor e para que haja um constante desenvolvimento a zona de conforto do fortalecimento de uma teoria predileta atrapalha. Portanto, torna-se fundamental que o professor de sociologia leia também o que ele discorda a fim de enriquecer seu repertório e conhecer outras leituras sobre a realidade a qual está acostumado.

7- Gostar de ler
Esse hábito não é apenas relativo a professores de sociologia, mas para todo e qualquer pessoa que deseja ser um bom profissional. Ler diariamente ajuda a expandir o repertório acadêmico tão necessário para ensinar bem qualquer assunto.

8- Gostar de escrever
Essa é uma das grandes vantagens de um bom professor de sociologia. Escrever ajuda a organizar ideias e exercita a imaginação e criatividade, fundamentais para qualquer atividade intelectual. Ler e escrever são habilidades relacionadas as quais potencializam o desenvolvimento intelectual.

9- Criatividade
“Criatividade é a inteligência brincando”. Quando o repertório de teorias, conceitos e categorias é marcante, o professor sente mais necessidade de compartilhar o que aprendeu de maneira criativa. A criatividade é a necessidade de fazer uma aula diferente, produtiva e inovadora. Isso além de motivar os alunos motiva o professor e dá um sentido diferenciado a sua prática.

10- Curiosidade
A curiosidade é uma vantagem não apenas para o excelente professor de sociologia, como também para qualquer profissional das ciências. A curiosidade é a força que move o indivíduo a buscar fazer perguntas cujas respostas se transformam em repertórios os quais serão debatidos e aplicados em sala de aula.

11- Domínio do método científico
A sociologia é uma ciência e como tal demanda uma problematização científica dos seus resultados. Para tanto, é necessário que as discussões incentivem os alunos a buscarem interpretação da realidade para validar os que está sendo ensinado. Tal validação não deve ser subjetiva, deve seguir o crivo do método científico: comparar e analisar dados, avaliar métodos de levantamento de dados a fim de ir além das percepções subjetivas.

12- Valorização de experiências de vida
Compreender que as nossas biografias pessoais interagem com a de outros indivíduos e também com a estrutura social proporcionam uma campo fértil para o desenvolvimento da imaginação sociológica. Neste sentido, as biografias podem e devem ser objeto de análise da sociologia, observando o método científico e buscando contextualizar o que está sendo aprendido não apenas de maneira geral, mas também a partir da vivência de cada sujeito social. Enfim, colocar fomentar a autonomia intelectual dos alunos para que eles consigam fazer boas leituras da realidade social.

ronielsampaio@gmail.com

Graduado em Ciências Sociais pela UFPI, mestre em Educação pela UNIR e docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí.

View more articles Subscribe
Leave a response comment1 Response
  1. Arlene de Souza Paula
    novembro 13, 09:05 Arlene de Souza Paula

    Parabéns pelo texto, parabéns pelo blog. Desejo receber notificações de novos artigos.

    reply Reply this comment
mode_editLeave a response

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *

menu
menu
%d blogueiros gostam disto: