Breves apontamentos “Sobre o tempo” Norbert Elias

Breves apontamentos “Sobre o tempo” Norbert Elias

Resenha “Sobre o tempo” Norbert Elias

Por Roniel Sampaio Silva

sobre o tempo - norbert elias

O tempo parece algo banal, natural, espontâneo e ao mesmo tempo tão visceral. Para nós o tempo é tido como uma entidade para além da nossa existência. Norbert Elias faz uma profunda reflexão sociológica desafiadora e incrível sobre o tempo problematizando-o.

Como um bom sociólogo, procurou explorar uma visão para além das fronteiras disciplinares, evidenciando diálogos com a Física, a Filosofia, Psicologia a História, isso para tornar a analise sociológica mais rica.

Na obra “Sobre o tempo”, de Norbert Elias, encontramos uma analise da dimensão social do que chamamos “tempo”; este sendo problematizado como construção social que não se desprende de sua dimensão geocêntrica. Nesta obra, Elias avalia o calendário como uma forma com a qual as sociedades ritualizam certas práticas durante um período a fim de assegurar sua repetição.  É por meio de um calendário que nós definitivamente somos inseridos num universo de uma coletividade social.

Neste sentido, a natureza é a primeira forma usada para sincronizar nossos tempos individuais e psicológicos na abstração social que conhecemos como tempo. A colheita, a semeadura, os rituais de passagem, a memória dos antepassados.

Cada sociedade configura a periodicidade dos seus ritos anuais, bem como, a rotina dos seus dias. Desta maneira, a palavra “tempo” tem uma certa ambiguidade, se referindo a clima (tempo está feio hoje) ou a intervalos (não terei tempo de chegar ao trabalho).

Cabe destacar os aspectos sociológicos dessa problemática. É por meio da socialização que o membro do grupo social passa a seguir um ritmo de acordo com o grupo social que está inserido. Assim, a socialização torna o tempo e o relógio biológico cada vez mais adequado à rotina da sociedade, fazendo da socialização um mecanismo que naturaliza a nossa noção de tempo, fazendo-o parecer natural e espontâneo.

Cabe lembrar também que cada sociedade tem ritmo diferenciado. Tem sua própria forma de “acelerar” ou “desacelerar” o

tempo. As sociedades modernas e industriais, passaram a racionalizar a medicação do tempo com vistas a potencializar a produtividade. Assim criou o relógio mecânico, que tem muito mais precisão. Por meio dele é possível estipular encontros de pessoas cada vez mais atarefas no intervalo cada vez mais racionalizado e desencantado.

A obra “Sobre o tempo” de Norbert Elias, publicado pela editora Zahar é um convite encantador para quem deseja fazer uma “viagem hermenêutica” no tempo e no espaço da imaginação sociológica para decifrar um enigma que até hoje fascina sociólogos, físicos, filósofos e intelectuais de várias especialidades que padecem no tempo tentando decifrar os enigmas que só a ciência é capaz de nos ajudar a desvendar a fim de envolver com o que Elias chama de “processo civilizador”.

Conheça o acervo e os livros em promoção da Editora Zahar. A editora tem descontos exclusivos para professores.

Roniel Sampaio Silva

Mestre em Educação e Graduado em Ciências Sociais. Professor do Programa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí – Campus Floriano. Dedica-se a pesquisas sobre condições de trabalho docente e desenvolve projetos relacionados ao desenvolvimento de tecnologias.

View more articles Subscribe
comment No comments yet

You can be first to leave a comment

mode_editLeave a response

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *

menu
menu
%d blogueiros gostam disto: