/

Criminalidade. O que tenho com isso? Reflexão sociológica sobre o tema

Criminalidade
Criminalidade
 
Criminalidade
Cristiano Bodart, doutor em Sociologia (USP) Professor do Programa de de Pós-Graduação em Sociologia (Ufal)

Nota-se um crescimento vertiginoso no índice de criminalidade nas áreas urbanas, principalmente ligado ao tráfico de drogas. A partir de um julgamento fundado no senso comum, tem-se o indivíduo como único culpado de sua condição de criminoso. Sob uma análise sociológica mais cuidadosa, me arrisco, com fortes indícios de certeza (embora não tenha feito uma pesquisa etnográfica), em afirmar que trata-se de fatores psicossociais. Afirmo que o criminoso não é o único responsável de tais constrangimentos, embora defendo que todos os indivíduos devam ser punidos ao descumprir as leis formais, desde que seja baseado na ética. Denuncio que os culpados também somos nós, os “estabelecidos”. Tentarei apresentar alguns de meus argumentos de forma sintetizada, ainda que correndo o risco de não ser completamente compreendido.

>
Nossa prática e postura
Nós, os estabelecidos[i] no mercado e no espaço urbano (devidamente empregados ou como patrões) e, consequentemente, estabelecidos na sociedade (aceitos integralmente como cidadãos), temos constantemente estigmatizado os “não-estabelecidos”, os “outsiders” do mercado. Criamos um estigma social em torno desses indivíduos, especialmente daqueles mais desprovidos de bens materiais, daqueles que na cidade chegaram e não conseguiram se estabelecer economicamente. Temos criado e recriado uma imagem desses indivíduos a partir de parâmetros econômicos que têm atuado como depreciadores da qualidade humana. Tal estigma contribui para a formação de uma auto-imagem depreciada, onde o estigmatizado acaba internalizando tais parâmetros sociais.
>
As depreciações
O estigma que nós (os estabelecidos) imputamos sobre os “outsiders”, fundamenta-se na renda, na escolaridade, na cor da pele e no local de moradia do indivíduo, assim como sua origem geográfica. A partir desses aspectos projetamos uma imagem depreciativa desses indivíduos, como indivíduos inferiores, muitas vezes tidos como ralé, pivetes, restos, invasores, escórias da sociedade, invisíveis, etc. Quantas vezes repetimos ou ouvimos expressões como:
 >

  “Ele mora lá na ‘espanha’… lá onde ‘es panha tudo’…”. “Só pode ser pobre e negro para fazer isso”.“Também, vai ver onde ele mora”.“Age assim porque não tem estudo”. “Só podia ser filho de mãe solteira para agir assim”.“Age assim porque é pobre”.“Esse pessoal que vem do nordeste são uns famintos”.“Só podia ser mesmo um favelado” “Nordestino não é gente. Faça um favor a SP: mate um nordestino afogado!”

 

Criminalidade
Jovem condenada, em maio de 2012, por crime de preconceito contra Nordestinos .
O fato é que ao repetir expressões como essas (via conversas de bar, de rua, fofocas, mídia, etc.), que demostram sentimento de repulsa aos que moram à margem da área central da cidade, aos menos escolarizados, aos mais pobres, aos sem uma família nos moldes tradicional, aos imigrantes, produzimos e reproduzimos um estigma social depreciativo. Cria-se, assim, condições de imposição da estigmatização. O poder econômico sendo utilizado para impor uma superioridade social e civilizatória.
>
Quantas vezes moradores de áreas mais carentes tiveram que  esconder informações referente ao seu local de residência? Quantas vezes moradores da “favela” disseram que moravam em outro bairro para fugir da discriminação? Tais atitudes se manifestam como forma de “defesa”, de se esquivar dos estereótipos de “favelado”, de “nordestino”. O problema maior está com relação a cor, haja vista que é impossível esconder sua identidade racial em uma relação face-a-face. Os escárnios talvez sejam mais comum entre crianças por serem menos preocupadas em dizer o que ouvem em conversas de adultos e o que lhes vem à cabeça. Não que os adultos pensem de forma diferente das crianças, pelo contrário, são quase sempre elas suas imitadoras (repetem o que ouvem).
 >
Os impactos
Estigmatizado pelos “estabelecidos” na sociedade, os “não-estabelecidos, os outsiders” acabam sentindo-se excluídos, incorporam a ideia de serem socialmente inferiores, não se reconhecendo como parte da sociedade (certamente existem muitos casos que os fatores sociais acabam não sendo determinante das atitudes e escolhas do indivíduo, nesses a personalidade, o ‘eu’, no sentido freudiano, acabou pesando mais que as pressões do meio a qual vive).
 >
A aceitação do estigma traz um sério problema[ii]: a perda da autoestima e da moral. Se por um lado os estabelecidos são coagidos, via coerção informal, manter sua moral “integra” (seu nome ou imagem diante da sociedade), os não-estabelecidos não têm mais o que preservar, já que nós, os estabelecidos, já definimos que eles não têm moral.
 >
Um indivíduo ao participar de um grupo social aceita as imposições deste. Desta forma, ao estar incluído socialmente os cidadãos aderem as normas de conduta, ainda que sejam custosas (mas julgando os benefícios serem maiores). Passam a obedecer as normas… a “civilidade”, a se distanciarem de ações criminosas. Mas quando o indivíduo não está incluído no grupo? Por que obedecer as normas? Por que obedecer a “civilidade”? Por que agir de forma que sua moral (já descartada pelos estabelecidos) seja preservada?
 >
Com sua autoestima abalada, com o estereótipo de marginal (nos dois sentidos do termo) e as portas do mercado fechadas pela discriminação alguns indivíduos acabam agindo de forma contrária as normas sociais a fim de alcançar o que via legalidade lhes é visto como impossível.
 >
Outro elemento que colaborará para desencadear a criminalidade: a coerção legal fragilizada. Sem um “nome” a zelar, frente a impunidade e a insuficiente coerção legal, tais indivíduos terão mais “facilidades” para se envolver com a criminalidade (ou serem atraídos por ela).
 >
Refletir olhando para nós mesmos
Dito isto, creio que precisamos repensar nossos julgamentos em relação aos outros, especialmente daqueles que ainda não estão estabelecidos economicamente na sociedade consumista materialista. Precisamos colaborar para a autoestima desses, criando condições de se estabelecerem na sociedade como cidadãos plenos, como indivíduos orgulhosos de si mesmo. Carecemos de inclusão social e não o inverso. Tal inclusão passa por políticas sociais, mas também pela mudança de postura dos estabelecidos.
 >
A culpa não é apenas do outro, é nossa! Olhe para seu umbigo e pense um pouco.
  >

 

Notas

[i] Para usar expressões próximas àquelas usados por Norbert Elias e John L. Scotson, em “Os estabelecidos e os Outsideres”

 [ii] Certamente existem outros fatores colaboradores para a criminalidade, tais como a desestrutura familiar, a falta de perspectiva de futuro, fatores psicológicos, etc. O “eu” (no sentido freudiano) estabelece forte relação com a estrutura social, com o processo de socialização, o que não retira a responsabilidade pessoal, mas também não isenta a sociedade da construção do criminoso, assim como é possível notarmos que a personalidade (o eu) tem sido fator importante na superação da exclusão social.
Originalmente publicado aqui em agosto de 2012.

Cristiano Bodart

Doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP), professor do Centro de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Pesquisador do tema "ensino de Sociologia". Autor de livros e artigos científicos.

58 Comments

  1. Olá Cristiano,

    Sera que você poderia me enviar uma e-mail para contato?
    Sou da Universidade Metodista e gostaria de fazer uma entrevista com você ou com o Roniel.
    Poderia me enviar um e-mail? [email protected]

  2. Belíssimo texto. Nos faz refletir e repensar muitos atos, que muitas vezes pela vida corriqueira, acabamos por esquecer. E pela reflexão, percebemos que nós, cidadãos, podemos ser os grandes percussores da criminalidade. Triste, mas é a realidade !

  3. essa postagem retrata bem onde fala onde a gente se colocar no mundo do crime onde a maioria das vezes se colocamos como vitimas mais sera que a gente mesmo não influencio
    uma pessoa a ir ao mundo do crime. e o governo sera também não fez sua parte hoje no mundo
    muitas coisas podem influencia como musicas filmes jornais e etc.

  4. Realmente a sociedade possui uma grande parcela de culpa na formação do individuo,constatamos isso observando a grande diferença entre as classes sociais,uns possuem muito outros menos e não me refiro apenas em dinheiro trato também da formação cultural das pessoas poucos tem acesso a uma boa educação,boa educação não digo escolas particulares e sim cultura,informação,acesso as tecnologias,não deixando de lado a problemática que envolve as diferenças raciais.

  5. Esta postagem fala do aumento da criminalidade ente os jovens que a maioria das vezes eles são mandados pelos adultos que eles não podem ser presos.
    E a sociedade não está nem ai pra o que vai acontecer com esses jovens com eles e com ate os seus filhos algumas protegem os seus filhos desse mundo horrível.
    Essa postagem esta ótima!!!

  6. Criminalidade e eu com isso!!!!
    certamente os principais culpados de toda essa criminalidade do nosso dia a dia é por uma parte a sociedade por apoiar os atos dos criminosos e pelo outro lado a justiça por não punir de forma correta os criminosos .eu acho só que a sociedade deve deixar de os criminosos e a justiça ser apenas um pouco mais rigorosa em suas punições !!!

  7. que a sociedade encara isso como uma doença não chegam perto, nem pensa apenas ignoram, mais deveria ser ao contrario deveriam se preocupar pelo fato de que isso poderia acontecer com qualquer um independente de classe social, ou cor, por que todos somos iguais, e que a sociedade não deveria fechar os olhos para isso, por que hoje ou amanhã um jovem drogado ou traficante pode te assaltar ou até te matar, então ajude por que creio que não custa nada ajudar!!!

  8. Quem pensa que o aumento da criminalidade não tem nada a ver com ele está enganado, o aumento da criminalidade no país reflete problemas sociais existentes nele, como a falta de educação, emprego. Isso tudo poderia ser evitado com uma maior colaboração dos nossos governantes.

  9. Penso eu que a desigualdade e a exclusão social também influenciam na criminalidade ,Isso fica mais claro hoje em dia com essa tecnologia avançada todo mundo que ter os melhores celulares melhores computadores etc . Mais aquelas pessoas que não tem dinheiro pra comprar, preferem usar a criminalidade pra adquirir,Ai roubam e até cometem assassinatos. O total das perdas causadas pela criminalidade é incalculável.A Forma mais simples de evitar a criminalidade é Investir mais na educação criar mais oportunidades de empregos mais nosso pais não é capaz de fazer esses investimentos a Copa é mais importantemente para os governastes .

  10. vivemos em um país muito desigual.O índice de criminalidade cresci de um modo gritante e poucas vezes paramos para pensar por que isso vem acontecendo,sempre procuramos colocar a culpa em alguém,na família dessa pessoas por não ter uma estrutura para criar seus filhos que entra pro mundo do crime, nos governantes que não toma medidas necessárias para combater o próprio.Mas sem se dá conta que a sociedade como todo,tem também uma pzarcela de culpa por ser tão preconceituosa

  11. Sempre vemos na televisão que o Brasil é um país que tem grandes potências de ser desenvolvido, mas como querem fazer o país crescer se não investem nele, não incentivam o crescimento individual, não respeitam os direitos sociais?

  12. As pessoas que pensam que isso não tem nada a ver com você esta totalmente enganado pois as vezes muitos não tem oportunidades por isso acabam escolhendo o lado erado…
    e isso as vezes podiam ter minimizado com uma simples ajuda, pois ajudar o próximo não custa nada..

  13. Muitas vezes,criminosos praticam o ato de roubar por necessidades,ou em outras palavras,agem para sustentar sua família ou para se próprio.Em minha opinião o Brasil tem o dever de investi mais em se próprio para que haja cada vez mais igualdade social resultando em menos criminalidade.

  14. gostei muito desse texto.. pois a criminalidade muitas vezes e causada por necessidades, muitos passam fome e essa e a realidade do nosso planeta, muitos entram nas drogas para esquecerem a vida de sofrimento e fome e acabando entrando num beco sem saída. precisamos ter igualdades sociais, pois si continua assim só quem vai ter vez são os ricos.

  15. Estamos num mundo de individualismo, onde as pessoas não se preocupam com ninguém, e quando se comovem, não têm atitude para fazer algo, para ajudar o próximo, independente de quem seja. E a pessoa continua assim, todos os dias, até que essa realidade criminosa a atinja, ela se espanta, pensa que ela é diferente, e que nunca poderia acontecer com ela.

  16. muitas vezes as pessoas cometem crimes por necessidades é e forçado a cometer crimes por falta de dinheiro e tem que sustenta a família então a unica solução e o rubo pois não conseguem emprego pois não tem uma formação academica .

  17. A criminalidade é algo que atinge absurdamente a população brasileiro, hoje em dia o medo ronda as pessoas das portas de suas casas ao mundo exterior, esse ato violento é dado devido a diversos fatores, entre eles o fato de que pessoas tem essas atitudes por necessidade, roubam para se alimentarem e sofrem muito, temos que sair desse estado de comodismo e começar a agir, muita teoria e pouca prática.

  18. O ser tem que se preocupar com a criminalidade sim, pois vive na sociedade faz parte delo logo tem de estar cobrando melhorias e a criminalidade é umas delas, temos o pensamento que a criminalidade é um problema do governo mas na verdade é problema nosso pois estamos envolvidos na mesma sociedade.

  19. esse texto e bem importante para nos (cidadão) que pensa que crime e só aquilo que acontece
    como morte, roubo etc… pois nos ao qualquer momento podemos fazer um crime mesmo sem saber

  20. Sob uma análise , com fortes indícios de certeza em afirmar que trata-se de fatores psicossociais. Afirma que o criminoso não é o único responsável de tais constrangimentos, embora defendo que todos os indivíduos devam ser punidos ao descumprir as leis formais. Criminalidade é um problema do governo , quer dizer não só do governo e sim , de todos nós.

  21. A desigualdade social e a pobreza são problemas sociais que afetam a maioria dos países na atualidade. A pobreza existe em todos os países, pobres ou ricos, mas a desigualdade social é um fenômeno que ocorre principalmente em países não desenvolvidos.
    A sociedade brasileira deve perceber que sem um efetivo Estado democrático, não há como combater ou mesmo reduzir significativamente a desigualdade social no Brasil.

  22. Belíssimo texto. Nos faz refletir e repensar muitos atos, que muitas vezes pela vida corriqueira, acabamos por esquecer. E pela reflexão, percebemos que nós, cidadãos, podemos ser os grandes percussores da criminalidade. Triste, mas é a realidade !é um tipo de coisa que devemos refletir todos os dias.

  23. Hoje o mundo está sendo dominado pela criminalidade,acho que não só a própria pessoa contribua para isso mas também uma pessoa que ela convive diariamente, concordo que a desigualdade social também influencie nisso, muito interessante esse texto, aborda um assunto muito importante de ser conhecido.

  24. São várias as causas que levam pessoas de todas as classes sociais a seguirem o caminho da criminalidade.No meu ponto de vista a criminalidade e causada por situação de pobreza,elevado nível de desemprego , relações familiares conflituosas mais muitas vezes
    esses pontos são usados apenas como uma desculpa para se praticar a criminalidade .

  25. a post comenta sobre as classe social e ate mesmo de regiões sofrem, muita pessoa são Judas por serrem de um local e onde eles escoltem isso para consegui um emprego oi ate mesmo na escola a onde outro meninos critiquem eles e muitos vão para a criminalidade.

  26. Cara, o preconceito está no mundo todo e é indignante o fato de ninguém aceitar alguém no grupo social por sua cor, região, família, etc… esste texto me fez ver que na verdade não são só os criminosos quem fazem o mal, mas nós também, a sociedade julga demais os outros e isso causa uma grande repercussão na vida social de cada indivíduo. Um fator leva a outro até causar até gerar sérias consequências.

  27. Belíssimo texto. Nos faz refletir e repensar muitos atos, que muitas vezes pela vida corriqueira, acabamos por esquecer. E pela reflexão, percebemos que nós, cidadãos, podemos ser os grandes percussores da criminalidade. Triste, mas é a realidade !

  28. Algumas pessoas pensam que criminalidade esta ligada só a tráfico de drogas,mas não é.Está ligado ao preconceito,racismo de alguma forma estamos cometendo uma criminalidade racial,discriminação.A sociedade de hoje em dia é muito preconceituosa e julgam as pessoas pela classe social,cor,raça,cultura,etc.Temos que presta a atenção no caráter da pessoa.

  29. A criminalidade tem crescido mundo no Brasil , por conta de preconceitos, falta de educação , respeito ao próximo tudo isso levam as pessoas as criminalidade , algumas pessoas são excluídas das sociedades ,isso também pode levar a pessoa , fazer algum crime , que talvez nem queira. Precisamos de educação , para mudarmos de atitudes ! o Brasil tem um grande desenvolvimento , mas cade , não estamos fazendo que ele prodiga e sim estamos fazendo com que ele , fique um país , miserável cheio de ladrões , assassinos, corruptos , etc!

  30. A criminalidade tem crescido mundo no Brasil , por conta de preconceitos, falta de educação , respeito ao próximo tudo isso levam as pessoas as criminalidade , algumas pessoas são excluídas das sociedades ,isso também pode levar a pessoa , fazer algum crime , que talvez nem queira. Precisamos de educação , para mudarmos de atitudes ! o Brasil tem um grande desenvolvimento , mas cade , não estamos fazendo que ele prodiga e sim estamos fazendo com que ele , fique um país , miserável cheio de ladrões , assassinos, corruptos , etc!

  31. Esse texto é muito legal, mostra para todos a realidade… Os crimes que acontecem muitas vezes necessárias, nosso planeta tem muitas pessoas que passam fome, várias pessoas entra no caminho errado e acabam com suas vidas. Precisamos acaba cm isso e todos ter os mesmos direitos e não só os ricos.

  32. A sociedade possui uma grande parcela de culpa na formação do ser. A desigualdade e a exclusão social influenciam bastante na criminalidade. A desigualdade social,ocorre,principalmente em países subdesenvolvidos. O aumento da criminalidade no país está, muito ligada a problemas sociais já existentes,como a falta de educação, emprego.

  33. A sociedade possui uma grande parcela de culpa na formação do ser. A desigualdade e a exclusão social influenciam bastante na criminalidade. A desigualdade social,ocorre,principalmente em países subdesenvolvidos. O aumento da criminalidade no país está, muito ligada a problemas sociais já existentes,como a falta de educação, emprego.

  34. Quem pensa que o aumento da criminalidade não tem nada a ver com ele está enganado, o aumento da criminalidade no país reflete problemas sociais existentes nele, como a falta de educação, emprego. Isso tudo poderia ser evitado com uma maior colaboração dos nossos governantes.

  35. Uma coisa que eu acho absurda é as pessoa descriminarem outras por eles serem de um jeito diferente, de uma classe social diferente ou ate mesmo por morar em um bairro diferente do seu. O nosso país precisa crescer muito a respeito desse tipo de coisa pois nos Brasileiros infelizmente temos preconceito de coisas absurdas que na verdade é o contrario do que a gente pensa.

  36. Quando se fala em criminalidade, ja se vem a cabeça: Roubo, assassinato, sequestro, estupro… esta correto, sao criminalidades, mais a tambem outros tipos, como por exemplo, Preconceito e Bullyng.
    Essas sao crimilidades exatamente como as outras citadas acima, e que tem aumentado de uma forma que assusta.
    No Brasil o indice de criminalidade é muito alto.

  37. A criminalidade as vezes não é só o roubo, assassinato , entre outros. Deixar as pessoas tristes com palavras que ofendam também é um crime! A criminalidade em geral vem aumentando de uma forma inexplicável, porque a cada dia que se passa, as pessoas ficam com menos educação e ofendem os outros, ou então, quem trabalha o dia todo e luta pra ter as suas coisinhas, vem um malandro e rouba tudo aquilo que foi comprado com muita luta!

  38. Hoje em dia a criminalidade vem aumentando, mas não é só aquele,por exemplo, assassinato. Há dois tipos comuns em nosso dia-a-dia que pode ser na escola, no trabalho, entre outros lugares e eles são o preconceito e o bullyng. Tudo começa porque uma pessoa tem uma condição econômica melhor e uma outra pessoa não tem uma renda boa, não tem a mesma raça que ela e mora em um local que a pessoa acha que não é apropriado. E é assim a sociedade brasileira hoje em dia.

  39. Hoje em dia a criminalidade vem aumentando, mas não é só aquele,por exemplo, assassinato. Há dois tipos comuns em nosso dia-a-dia que pode ser na escola, no trabalho, entre outros lugares e eles são o preconceito e o bullyng. Tudo começa porque uma pessoa tem uma condição econômica melhor e uma outra pessoa não tem uma renda boa, não tem a mesma raça que ela e mora em um local que a pessoa acha que não é apropriado. E é assim a sociedade brasileira hoje em dia.

  40. Creio que nos dias de hoje é inaceitável atitude de descriminação tanto por raça, classe social, opção sexual, etc. Porém, infelizmente ainda temos pessoas que simplesmente fecham os olhos para o que esta realmente se passando nas áreas marginalizadas, criticando, fazendo piadinhas e olhando apenas para "seu pequeno mundinho" interior. O que eu concluo na minha opinião é que essas pessoas são vazias por dentro, sem um minimo de conhecimento, e procura se auto completar, rebaixando as demais pessoas, o que é ridículo.

  41. Como nota-se a criminalidade só vêm aumentando em todos os aspectos, urbanos, pessoais. No momento que é comentado no blog sobre a questão pessoal, no que diz respeito a questão sócio-econômica da população, julgamentos… Opiniões de forma rude são descritas, sobre cor, escolaridade, economia. A criminalidade surge em pequenos fatos, acontecimentos. A facilidade aumenta quando a julgamentos em relação aos outros. A falta de perspectiva de futuro, outro fator bastante considerado é o psicológico. Não é por acaso que um crime é cometido, a origem do pensamento para tal ato. A sociedade não se importa tanto com as origens, com os porquês. Apenas se importam com o que aconteceu.
    Refletir que por momentos somos os grandes percussores da criminalidade.
    Tayse Virgulino

  42. Esse texto retrata o alto índice de criminalidade nas áreas urbanas, mostrando todos os aspectos da vida pessoal e econômica. Onde que não é um individuo apenas que é o culpado, somos todos nós, porque afeta principalmente o nosso psicológico, por passarmos por alguns constrangimentos. Temos vários fatores que colaboram na aceitação desse problema, as facilidades de discriminação e impunidade, por exemplo. Existe um fato mais conhecido nos dia de hoje que é a falta de comunhão entre as famílias, os fatores psicológicos alterados, afetando assim a personalidade de um individuo, entrando em uma exclusão social, mudando de postura e levando a pratica de tais crimes que só trazem risco a população que vivemos. No que traz a um mundo cheio de marginalidade e inferior.
    Tamirys Virgulino

  43. Muito pertinente a abordagem desse assunto, pois provoca a reflexão acerca de nossos proprios atos enquanto atores sociais. O abismo social entre as classes é o fator preponderante da violencia, sendo o Estado o verdadeiro responsavel pela manutençao desse quadro, pois nao estabelece politicas eficientes para a inclusao social daqueles menos favorecidos.

  44. A marginalização social encontrada principalmente nas grandes cidades são caracterizadas pela falta de moradia adequada, o preconceito social, o tráfico de drogas etc. Problemas esses, que poucos fazem caso, não se importando e estigmatizando os de classe social desfavorecida. Apesar de todos os rótulos que generalizam aqueles pertencentes as classes desfavorecidas da sociedade como um todo, nós podemos fazer nossa parte quando se trada de respeitar as características e formação social de cada indivíduo.

    Por: Fernando Rodrigues

  45. De acordo com o autor, fatores como condição financeira e aspectos raciais influenciam muito no olhar analítico da criminalidade atualmente. Com isso podemos perceber que alguns fatores como a falta de acesso à educação e cultura, por exemplo, vem de encontro com a estigmatização dos indivíduos dentro da sociedade, empurrando-s pra as margens da mesma. Assim, alguns desses fatores determinantes de exclusão tomam proporções de uma "bola de neve", onde a falta de estudos ou oportunidades para qualificação por exemplo, vão gerar uma decadência ou simplesmente não ascensão econômica de um indivíduo. Por sua vez a sociedade irá estigmatizar este indivíduo, tratando a ele como inferior. Ele irá assimilar esta ideia de inferioridade e exclusão, podendo a partir desse pensamento agir de forma a ferir os direitos e deveres que tem perante a sociedade em que está inserido, uma vez que não se sente e não é tratado como parte significativa desse ambiente social.

  46. Hoje em dia, a violência faz parte do nosso cotidiano. Certamente vivenciamos expectativas e frustrações no tocante à fragilidade da vida pública e social com relação à violência. Não são poucas as notícias e imagens que nos chegam, expondo o sério problema da violência no mundo e em nosso país.
    Sabemos que o ser humano é fruto de relações sociais: a personalidade violenta decorre, em regra, do ambiente social – marcado pela violência – no qual o ser humano foi socializado. informações que nos levam a refletir sobre os verdadeiros problemas de nossa sociedade e suas origens.

  47. Segundo o Dicionário Aulete, criminalidade significa "caracterização ou qualificação de um crime; atividade ilegal; delinquência; conjunto de crimes cometidos em certo espaço de tempo e lugar."
    Um ato criminoso é aquele que fere com os direitos humanos, seja moralmente (bullying, preconceito) ou fisicamente (violência, assassinato, estupro).
    O texto acima mostra claramente a realidade em que vivemos, onde pessoas e até animais são tratados de forma diferente daquilo que julgam "comum".
    A sociedade possui a imensa necessidade de criar e estabelecer padrões sociais, como beleza, cor de pele, classe social, tipo de morada, estilo de vida, profissão, etc, onde os que não se encaixam nos padrões são, na maioria das vezes, discriminados e separados dos que foram "privilegiados" de se encaixarem nos padrões.
    Um bom exemplo é o padrão de beleza, que prega que o indivíduo para ser considerado bonito precisa ser alto(a), magro(a), cabelos bem cuidados e lisos, olhos claros, corpo escultural e músculos bem definidos, sem qualquer tipo de excesso de gordura. Há também os padrões de classe social, que enquadram pessoas com renda abaixo de 1.5 salários mínimos como pobres, e por sua vez bandidos, maloqueiros, burros e vários outros insultos que ferem totalmente a dignidade do indivíduo.
    No Brasil existem leis que tentam combater (sim, apenas tentam, mas isso não vem ao caso no momento) esses tipos de criminalidade, como a lei Nº 7.716 sancionada de 5 de janeiro de 1989, que assegura justiça à pessoas que sofrem com crimes de preconceito racial, estando o réu sujeito à reclusão de doid à cinco anos, e a lei Nº 4.837, sancionada em 22 de maio de 2012 que visa prevenir a prática do bullying, considerado um tipo de violência.
    Acredito que todas essas formas de preconceito foram criadas pela própria sociedade que a quer combater, a partir do momento que há a separação entre pessoas consideradas "encaixadas no padrões" criados pela mesma, afinal se a sociedade ditasse que uma pessoa negra é "normal" e uma branca "anormal" (o contrário da realidade) o que estaria sofrendo preconceito seria o branco. Claro que é impossivel reverter esse quadro hoje, afinal ideias como estar foram criadas ao longo do tempo e assim como a pangeia demoraram muito para serem formadas da forma que vemos hoje. O que pode ser feito é a concientização de que somos todos iguais, independente de qualquer característica que nos diferencie, e que o poder judiciário continue cumprindo com sua parte condenando pessoas que praticam crimes de preconceito.
    Aluna Karoline 4º ano de informática MI

  48. O fato é que o tráfico de drogas tem feito com que o crime organizado se prolifere no Brasil. Com ênfase no tráfico de crack e cocaína que a cada dia só aumenta e, com isso, a criminalidade tornou-se realidade em nosso país em diversos setores e/ou formas, independetemente da classe social, do grau de escolaridade, da raça, sexo e/ou características físicas. Mas, ainda com essa indiferenciação, a sociedade insiste em criar rotúlos para estigmatizar aqueles que historicamente vem sendo "marginalizados", como por exemplo: negros e os pobres.

    Aluna: Jackeline Crizostomo / 4º ano Informática

  49. Nota-se realmente um crescimento nos índices de violência no país,
    diante disso o governo "toma" algumas medidas cabíveis para que se
    possa "controlar" esse problema que é a violência.
    De acordo com várias fontes, o Brasil possui altas taxas de crimes
    violentos, como homicídios e roubos diante disso o Brasil entrou na
    lista dos vinte países mais violentos do mundo.
    Mas oque podemos fazer? Pois não há segurança nem nas vias públicas, e
    o trabalho da polícia às vezes não é eficiente, e alguns ainda entram
    no "jogo".

    Aluno: Antônio Carlos P. M. Milhomens Junior
    4º ano de informatica.

  50. Ótimo texto!
    Acredito eu que a impunidade e as brechas na lei não representam em nada pra vc se envolver no mundo do crime a ultima coisa que vc vai pensar são nas consequências ou seja a impunidade representa apenas uma pequena parcela dos motivos citados no próprio texto

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: