O que é Discurso?

O que é Discurso?

O que é Discurso?[1]

Francisco Jomário Pereira[2]

discurso

Francisco Jomário Pereira é um dos autores do livro “Conceitos e categorias do ensino d Sociologia, vol.1” (2021)

O que é o discurso? Como e por que se produzem? Pode ser controlado, editado, manipulado? São questões norteadoras que basearam nossa reflexão.

Poderíamos dizer que discurso é tudo que o homem produz e que tenha significado, sentido, ou informe algo a alguém (GREGOLIN, 2006). Devemos esclarecer que esse conceito perpassa várias áreas das humanidades. Fernandes (2012) nos explica sobre esse fenômeno: “o discurso é exterior à língua, mas depende dela para sua possibilidade de existência material, ou seja, ele materializa-se em forma de texto, de imagens, sob determinações históricas” (2012, p. 16).

O conceito pensado por Foucault nos ajuda a compreender o processo de construção e transformação pelo qual passa o discurso, tendo em vista que é um conceito que foi apropriado ao longo das décadas por diversas áreas e estudiosos.

Chamaremos de discurso um conjunto de enunciados, na medida em que se apoiem na mesma formação discursiva; […] é constituído de um número limitado de enunciados para os quais podemos definir um conjunto de condições de existência; […] é, de parte a parte, histórico – fragmento de história, unidade e descontinuidade na própria história, que coloca o problema de seus próprios limites, de seus cortes, de suas transformações, dos modos específicos de sua temporalidade, e não de seu surgimento abrupto em meio às cumplicidades do tempo (FOUCAULT, 2008, p. 132-133).

O discurso pode ser datado historicamente, pois ele pertence a um determinado período histórico, a exemplo do discurso religioso, jurídico e médico. Observamos que os discursos ou verdades produzidas por tais campos foram adaptados, remodelados e ressignificados se analisarmos o contexto histórico onde foram produzidos.

Todos nós somos produtores de discurso. Ao passo que somos produtos deles, construímo-nos como seres humanos baseados em um discurso dito como verdadeiro e que orienta nossas ações como homens e mulheres. Como uma mulher deve agir? maternal, feminina, amorosa, diferentemente do homem, másculo, não chora, forte, agressivo, são discursos instituídos, mas isso não quer dizer que não possam ser contestados. A evolução científica e social se deu pelo revezamento ou substituição de verdades apresentadas via discursos. Ele não é apenas a materialização em forma de texto, vídeo, ou fala, mas sim a construção em torno de uma ideia, uma verdade, os argumentos, as reflexões; é um processo dialético.

Por fim, o discurso pode ser entendido como a exposição de ideias, de modo organizado e lógico, orientado por uma ideologia, concretizado a partir de uma linguagem, seja escrito ou verbalizado, mas sempre com um ideal: convencer o outro sobre a sua lógica. Onde existe um discurso posto como verdadeiro, existirá um contradiscurso que busca tomar o lugar oficial e hegemônico.

Referências Bibliográficas

FERNANDES; Claudimar Alves. Discurso e sujeito em Michel Foucault. Intermeios. São Paulo. 2012.

FOUCAULT, Michel. História da Sexualidade. Vol. 1, 2014. Vol. 2, 2014. Vol. 3, 2017. Paz e Terra. Rio de Janeiro/São Paulo.

FOUCAULT. A arqueologia do saber. Tradução de Luiz Felipe Baeta Neves, 7 ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.

FOUCAULT. A ordem do discurso. Loyola, São Paulo, Brasil, 1996.

GREGOLIN, Maria do Rosário. Foucault e Pêcheux na análise do discurso- diálogos & duelos. São Carlos. Editora Clara Luz. 2006.

PEREIRA, Francisco Jomário. O que é Discurso? In: BODART, Cristiano das Neves. Conceitos e categorias do ensino de Sociologia, vol. 1. Maceió: Editora Café com Sociologia, 2021.

Como citar este texto:

PEREIRA, Francisco Jomário. O que é Discurso. Blog Café com Sociologia. mar. 2021. Disponível em: <https://cafecomsociologia.com/discurso/>.

Notas

[1] Texto derivado de “O Que é Discurso”, publicado em “Conceitos e categorias do ensino de Sociologia” (2021).

[2] Licenciado em Ciências Sociais (UFCG) e História (Cruzeiro do Sul), Especialista em Direitos Humanos, Mestre em Ciências Sociais (UFCG) e Doutor em Sociologia (UFPB). Professor da educação básica desde 2012 atuando nas disciplinas de História e Sociologia, atualmente é professor no Departamento de Ciências Sociais na Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).

 

Conceitos e categorias do ensino de Sociologia, vol.1

Versão do texto em PDF AQUI

Acompanhe nossas redes sociais para não perder nenhum conteúdo:

Cristiano Bodart

Doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP), professor do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Docente do Centro de Educação da Ufal.

View more articles Subscribe
comment No comments yet

You can be first to leave a comment

mode_editLeave a response

Deixe uma resposta

menu
menu
%d blogueiros gostam disto: