Recontextualização didática: agência x estrutura

 

 

 

Recontextualização didática: agência x estrutura 

 

Por Cristiano das Neves Bodart
A música pode vir a ser utilizada nas aulas de Sociologia de forma bem produtiva e de diversas maneiras (Veja aqui um artigo de como analisar letras de músicas nas aula de sociologia). Uma delas é sua utilização como introdução de um conteúdo ou um conceito sociológico, bem como uma perspectiva teórica.
Nessa postagem dou um exemplo bastante útil para introduzir a tradicional questão sociológica: agência x estrutura. Em síntese, a proposta é realizar uma recontextualização didática* dessa discussão a fim de torna-la mais próxima dos educandos.
Passamos assim para a sugestão prática para uma aula com turmas iniciantes na disciplina de Sociologia, seja no Ensino Básico ou Superior:
PRIMEIRO MOMENTO: 
O professor traz a frase: “O sucesso depende só de você!” e pergunta aos educandos se concordam ou descordam dela.
SEGUNDO MOMENTO: 
Feito isso, explica à turma o conceito de agência e de estrutura.
TERCEIRO MOMENTO: 
Passar para os alunos a música “Não vou me adaptar” de Nando Reis. É importante o acesso dos alunos à letra da música.
QUARTO MOMENTO:
Perguntar aos alunos se é possível não nos adaptarmos, como indica a música. A partir desse momento, dialogue com os alunos a partir das contribuições de autores que defenderam a predominância da estrutura sobre as escolhas dos indivíduos (K. MARX), assim como aqueles que evidenciaram a predominância da agência (M. WEBER e E. GOFFMAN) e dos que trabalharam com a coexistência de ambas, ainda que reconhecendo a força da estrutura (N. ELIAS e P. BOURDIEU).
Segue a letra da música: 
Música: Não Vou Me Adaptar
Cantor: Nando Reis
Eu não caibo mais nas roupas que eu cabia
Eu não encho mais a casa de alegria
Os anos se passaram enquanto eu dormia
E quem eu queria bem me esquecia
Será que eu falei o que ninguém ouvia?
Será que eu escutei o que ninguém dizia?
Eu não vou me adaptar, me adaptar
Eu não vou me adaptar, me adaptar
Eu não vou me adaptar, me adaptar
Eu não tenho mais a cara que eu tinha
No espelho essa cara já não é minha
É que quando eu me toquei achei tão estranho
A minha barba estava deste tamanho
Será que eu falei o que ninguém ouvia?
Será que eu escutei o que ninguém dizia?
Eu não vou me adaptar, me adaptar
Não vou me adaptar!
Me adaptar!
Repetir a música
 
Vídeo:

* Alguns preferem usar o conceito de “transposição didática”.

 

 

Cristiano Bodart Bodart

Graduado em Ciências Sociais, doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo/USP.

View more articles Subscribe
Leave a response comment1 Response
  1. novembro 17, 15:01 Núcleo de Estudo e Pesquisa em Ciências Sociais

    […] Originalmente publicado no Blog Café com Sociologia (AQUI) […]

    reply Reply this comment
mode_editLeave a response

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *

menu
menu
%d blogueiros gostam disto: