Ciências Humanas, para que tê-las?*

Ciências Humanas, para que tê-las?*
Por Marcela Tanaka**

Só pode ser o que o
Ministério Público e a Secretaria de Educação de São Paulo se perguntam. Depois
do anúncio do Programa Ciência Sem Fronteiras ter cortado as bolsas estudantis
de mais de 20 cursos das Ciências Humanas, agora a Secretaria de Educação
estadual anuncia alteração no currículo do Ensino Fundamental, retirando das
grades dos três primeiros anos as disciplinas de História, Geografia e Ciências
sob a desculpa de tornar “o currículo mais atraente”.

Agora pensemos, além de problemas notadamente iminentes como desemprego dos profissionais da educação na área de humanidades.Não é novidade pra ninguém que a
gestão pública desse país têm dado ênfase em demasia às áreas de tecnologia e
produção, literalmente, quanto mais vender o conhecimento produzido aqui dentro
para as grandes empresas nacionais e estrangeiras, melhor. Ou seja quanto mais
aparecer nos BRICS, melhor, e pra que?

Não é da
minha competência discutir economia, crescimento e desenvolvimento, aliás, se
encontra muito longe do meu escopo de saber, mas de uma coisa posso dizer: não
quero que as gerações futuras cresçam em um país na contra-mão. E digo na
contra-mão porque a tendência mundial têm sido a de “trazer a reflexão
científica para o 1º ano” segundo a consultora em educação Ilona
Beckehazy. Excluir de um currículo disciplinas das humanidades é reforçar a
ideia de que são “matérias supérfluas” ou “inúteis”, a mim
essa postura do Governo Estadual é retrógrada e completamente sem sentido.
Penso, por
fim, nas inúmeras piadas que ouvi sobre estado-unidenses que não sabiam se
localizar no mapa, ou que não sabiam aonde ficava o Brasil, ou qualquer outro
país. Parece trivial, mas isso foi porque eu tive aulas de Geografia quando
mais nova; e as novas crianças brasileiras? Serão elas, também, motivo de
chacota? Acho que sim. Ao invés de incentivar a educação, acreditar no
futuro das crianças, lhes tiram o pouco que ainda resta, o pouco de educação.
Postura tosca, medida tosca e desculpa tosca, me sinto envergonhada e ofendida
em ter lido isso hoje.
*Texto originalmente publicado no blog parceiro “Crítica nossa de cada Dia“.
** Marcela Tanaka é graduanda em Ciências Sociais pela Unicamp.
Cristiano Bodart

Doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP), professor do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Docente do Centro de Educação da Ufal.

View more articles Subscribe
Leave a response comment1 Response
  1. pablomendes
    setembro 15, 17:04 pablomendes

    acho errado excluir disciplinas das humanidades dos curriculos, por que vamos ter que tipo de profissional futuramente que chegam e fazem seus serviços e vão embora, assim o país não vai crescer e vai se afundar, por isso não apoio essa ideia de tirar as disciplinas das humanidades por que os profissionais tem que pensar também nas pessoas.

    reply Reply this comment
mode_editLeave a response

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *

menu
menu
%d blogueiros gostam disto: