Dez vantagens da Reforma Agrária para o país

Dez vantagens da Reforma Agrária para o país

Reforma Agrária: benefícios para o Brasil

Por Roniel Sampaio Silva e  Cristiano das Neves Bodart

Mediante situação da concentração de terras no Brasil e suas consequências, é mais do que necessário e oportuno pensar uma medida a qual foi seguida por todos os países desenvolvidos: a Reforma Agrária.

A Reforma Agrária pelo seu objetivo de maior justiça social é acusada de ser uma prática do socialismo, o que não é por completo verdade, já que países capitalistas encontraram a reforma agrária meio de ampliar e diversificar a produção agrícola, além de reduzir as pressões populacionais sobre as cidades, o que acaba acarretando diversos problemas urbanos, como a criminalidade, a prostituição, o desemprego, a ocupação irregular do solo urbano, etc. Países como a Alemanha, Espanha, França, Itália, Inglaterra, países escandinavos e até Japão, Israel e Irlanda fizeram Reforma Agrária e obtiveram ganhos significativos.

“A propriedade privada é tão boa que a queremos para todos”. Essa frase, do ilustre e saudoso Brizola, indica a importância das reformas sociais de base para desenvolver efetivamente o país, sendo a reforma agrária uma das ações nessa direção.

O conceito de Reforma Agrária se aplica a diversas ações cujo fim último é tornar a terra acessível a quem nela deseja produzir, reduzindo a concentração nas mãos de poucos produtores.

“A reforma agrária é uma categoria heterogênea, que abrange vários significados e múltiplas dinâmicas sociais. Pode representar qualquer reforma política e social que visa a desapropriação de terras por trabalhadores camponeses ou pelo Estado com a intenção de atenuar a desigualdade fundiária. Pode ser compreendida, ainda, dentro de um sintetismo comum aos movimentos campesinos, como “ceder a terra para quem nela trabalha” (COSTA, 2014, p.5).

De forma sintética, apresentamos as vantagens de uma Reforma Agrária:

1- Democratização das terras no Brasil;
2- Maior produção e diversificação de alimentos;
3- Mais geração de postos de trabalho;
4- Mais práticas agroecológicas e sustentáveis;
5- Alimentos mais saudáveis;
6- Diminuição da inflação;
7- Diminuição da fome e maior segurança alimentar;
8- Diminuição do inchaço das cidades – macrocefalia urbana;
9- Diversificação das atividades econômicas;
10- Retomada do crescimento econômico com desenvolvimento social.

Só pra constar. Em torno de 228 milhões de hectares estão abandonados ou produzem abaixo da capacidade. Cerca de 40% dos latifúndios são improdutivos no Brasil (INCRA, 2010). Se essa situação fosse revertida por meio da Reforma Agrária o país teria diversos benefícios, como já indicados.

 

Para maior aprofundamento no tema Reforma Agrária indicamos o artigo “Reforma agrária: o impossível diálogo sobre a História possível“.

 

Referência

COSTA, Caetano De’Carli Viana. Sonhos de Abril: A luta pela terra e a Reforma Agrária no Brasil e em Portugal – os casos de Eldorado dos Carajás e Baleizão. Tese de Doutoramento em Pós-colonialismos e Cidadania Global. Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra. 2014. 

 

Roniel Sampaio Silva

Mestre em Educação e Graduado em Ciências Sociais. Professor do Programa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí – Campus Floriano. Dedica-se a pesquisas sobre condições de trabalho docente e desenvolve projetos relacionados ao desenvolvimento de tecnologias.

View more articles Subscribe
comment No comments yet

You can be first to leave a comment

mode_editLeave a response

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *

menu
menu
%d blogueiros gostam disto: