Em defesa das regras do jogo: punir, não punir e como punir alunos rebeldes.

Por Cristiano Bodart
Em uma escola do interior do sul do estado do Espírito Santo a professora puniu um aluno por não levar o livro didático para a aula. Punição: repetir 100 vezes a mesma frase, de que ela não pode esquecer de levar o livro para escola” (Reportagem do Jornal Local).

 

Aplicar sanções aos alunos que não cumprem as normas básicas da escola é fundamental para não se estabelecer um estado de anomia, situação marcada pela sensação de que não existem normas de convivência social e que tudo pode ser praticado. Por outro lado, normas ou punições injustas e desproporcionais podem tem um impacto contrário sobre a convivência social, além de ferir a integridade moral ou física do aluno.

As normas existem para proporcionar condições mínimas de funcionamento da interação social. Mas existem dois problemas muito comuns ligados as normas: 1. Não serem criadas de forma participativa, sendo impostas de cima para baixo; 2. Não existir, junto a norma, uma sanção clara e aplicável à todos, o que também deve ser definido de forma participativa junto à comunidade (nunca no improviso). Antes de aplicar alguma sanção ao educando é importante que o corpo técnico-pedagógico da escola observe esses dois pontos.Normas construídas de forma participativa são mais observadas pelos envolvidos, assim como as punições estabelecidas serão mais facilmente aceitas por todos, além da legitimidade social que o corpo técnico-pedagógico terá.

No caso da criança que teria sido obrigada a reproduzir frases em escola da região, fica bem claro as condições das normas escolares: improviso, impopularidade, desproporcionalidade. Ainda que tal punição tivesse resultados educativos, do ponto de vista moral e ético, me parece ser inaceitável. Escrever frases de forma repetitiva me parece desproporcional ao erro de deixar de fazer a atividade, além de ser pouco educativa. Repetir ações dão resultados, mas não sem objetivos e metas, como no caso de punições aos alunos. Pelo contrário, isso pode leva-lo a detestar os estudos.

A escola, enquanto instituição, vive um momento de crise, fruto do princípio de anomia que se estabelece já no lar dos educandos. Estes acostumados a não obedecer as normas acabam fazendo o mesmo no espaço escolar. A escola, por sua vez, marcada por resquícios da ditadura militar, impõe normas e punições sem participação social, e marcadas por improvisos, onde as penas não são claras e universais, além de desproporcionais às faltas. Consequentemente, acorrem essas aberrações que vemos por ai…

Cristiano Bodart

Doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP), professor do Centro de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Pesquisador do tema "ensino de Sociologia". Autor de livros e artigos científicos.

42 Comments

  1. CONVITE
    Passei por aqui lendo, e, em visita ao seu blog.
    Eu também tenho um, só que muito simples.
    Estou lhe convidando a visitar-me, e, se possível seguirmos juntos por eles, e, com eles. Sempre gostei de escrever, expor as minhas ideias e compartilhar com as pessoas, independente da classe Social, do Credo Religioso, da Opção Sexual, ou, da Etnia.
    Para mim, o que vai interessar é o nosso intercâmbio de ideias, e, de pensamentos.
    Estou lá, no meu Espaço Simplório, esperando por você.
    E, eu, já estou Seguindo o seu blog.
    Força, Paz, Amizade e Alegria
    Para você, um abraço do Brasil.
    http://www.josemariacosta.com

  2. O texto está bacana. Não deixa de estar exposta uma possibilidade de instrumento para resolução da problemática, – a necessidade de participação dos envolvidos na instituição escolar -, porém, como está a participação da família neste processo? Qual é a real inclinação dos alunos, mesmo quando convidados, a participar das tomadas de decisões? Creio que é interessante escrever outros textos sobre isso e tentar trazer exemplos, no caso, bem sucedidos para nos inspirar ainda mais.

  3. O texto esta ótimo assim como a Fabinha falou no comentário acima , o que falta e participação dos alunos para uma boa relação entre alunos e professores, a sociedade precisa de pessoas dispostas a fazerem de tudo por uma educação melhor, infelizmente a realidade do brasil e bem diferente.

  4. O texto ficou muito bom, pois além de ser um fato da sociedade, fala também de um assunto que atinge praticamente todos de uma escola, é muito bom lermos, pois eu que sou estudante, aprecio isto como uma forma de dizer que a educacao no nosso hoje, ainda está muito mais presente e viva que antes!!!

  5. O texto ficou muito bom, pois além de ser um fato da sociedade, fala também de um assunto que atinge praticamente todos de uma escola, é muito bom lermos, pois eu que sou estudante, aprecio isto como uma forma de dizer que a educacao no nosso hoje, ainda está muito mais presente e viva que antes!!!

  6. Criar regras e exigi-las são duas funções que andam juntas pois é necessário a criação de regras que sejam viáveis de serem cumpridas principalmente dentro de uma escola onde é preciso estabelecer limites para os alunos,porém muitas vezes muitas regras podem acabar atrapalhando pois o aluno acaba se sentindo "preso" como se não tivesse liberdade para fazer nada em um ambiente em que passa um bom tempo como na escola e ao se sentir assim descumpre com as regras postas pela escola.A educação que se tem em casa também é fundamental pois um aluno que tem uma boa educação dada pelos pais tem responsabilidade e consciência de suas atitudes estando certas ou erradas,então chego a conclusão de que é necessário uma relação da escola com a família e com o aluno e também dos mesmo com a escola principalmente ao criar regras pois se derem aos alunos o direito também de darem a sua opinião a respeito do que acham do que está sendo imposto pela escola é uma boa ideia,pois é interessante ouvir o aluno e seus argumentos.

  7. Sim o principal metodo de uma regra é cumprila então devemos formular varios tipos de modulos de cumprir com essas regras de um modelo que nâo atinja o aluno pois a cumprição de regras muitos rigorosas podem causar problemas no aprendizado do aluno ,afinal o aluno está na escola para aprender e deve tambem cupri as leis propostas pela instituição mas que as regras não seje de modulo que atrapalhe no aprendizado do aluno!!!

  8. Realmente, regras muitas vezes são boas mais tem que haver limites, do que adianta estabelecer varias regras se não serão compridas ? A educação vem de casa os pais são os principais responsáveis pela educação de cada criança,que desde pequenos já devem crescem tendo responsabilidade e sabendo seus limites para que respeitem a sociedade em que vivem e que as regras sejam cumpridas com maior facilidade.

  9. Esse assunto é muito delicado,pois os professores e educadores deve se lembra que estão tratando com criança e adolescentes, acho que tudo na base do diálogo se resolver, todos os estudantes tem direitos e deveres na escola como todos os educadores, então as regras estando bem clara creio eu que os alunos e professores estaram bem resolvido.

  10. As crianças desde o lar estão indicisplinadas e o seus pais não as punem da forma correta, e acostumadas a inpunidade elas repetem os atos de rebeldia na escola. E isso precisa ser mudado!

  11. Para que as crianças não tenham ou pratiquem atos de rebeldia é preciso que as mesmas assimilem ensinamentos primários,ou seja,desde suas casas.Esses ensinamentos devem ser propostos pelos pais para que no futuro não se tornem pessoas rebeldes.O ensinamento secundário deve ser ensinado pelos profissionais da educação que são os professores e membros de uma UE.

  12. Acho que isso não deveria ter acontecido, como ele diz, isso pode fazer com que a criança a detestar os estudos. O lar pra uma criança(anda mais pra uma q esta estudando) deve ser sem brigas ou discussões, e com isso, a criança pode acabar levando essa violência pra escola, e causando problema pra ela !

  13. Bom, acho que a educação deveria vir de casa, os pais deveriam ajudar a criança na escola. Acho errado esse tipo de punição, a criança pode perder a vontade de estudar e isso pode prejudicar ela mentalmente.

  14. Tem de ser feito um trabalho longo de educação nas escolas. Isso não é um problema somente nas escolas, no transito, nas rua em todo lugar temos isso. Cabe a nós decidirmos se queremos melhorar ou fingir que não aconteceu.

  15. não acho necessária uma punição desse tipo,acho que daria em mais efeitos,tirar alguns décimos,ou dar senso de responsabilidade a ele desde pequeno,isso quem sabe despertaria nele o amor pelos estudos.

  16. Essa questão de punir alunos, é um assunto bem delicado, é preciso tomar cuidado com o exagero.
    Achei desnecessário o exemplo dado acima, escrever 100 vezes a mesma frase! Que aplicação didática aconteceu ali?
    Achei essa medida quase que primitiva, isso não muda ninguém! Porque não beneficiar aqueles que trazem seu livro, pra que haja um interesse ou motivação?

  17. Punir os alunos eu acho uma solução bem cabível para parar com a rebeldia , mas tem que saber punir-los .
    Mas ainda sim eu acho melhor beneficia-los com alguma motivação , ai sim eles se sentiriam na educação que precisam !

  18. Punições básicas para alunos indisciplinados deve existir sim, mas há muitas punições injustas que fazem do aluno um capacho tanto para o professor quanto para os outros alunos e isso deve acabar. Tudo deve acontecer num modo civilizado, até porque é isso mesmo que deve se ensinar nas escolas.

  19. Vale a pena punir porque a criança está vindo de casa sem limites e quando ele chega na escola e ele vê que tem alguns limites, e que vao aplicar mesmo a sócioeducativa o aluno melhora muito em termos de comportamento, em termos de nota.
    O que eu vejo na verdade é um descuido às vezes até de representantes, agentes do poder público que preferem ficar nos seus gabinetes, nos seu ar condicionado do que ir a campo prestar o serviço que realmente a comunidade precisa e pelo que esses agentes são pagos.

  20. Nós enquanto jovens e estudantes nos sentimos meio que constrangidos diante de regras impostas, de alguma forma tentamos passar por cima de determinadas regras.
    Tais regras são interpretadas de forma errada por nós alunos, algo que nos proporcionaria a ter uma bagagem de princípios fundamentais, porém de que adianta as instituições tentar mudar ou modelar nossas cabeças, se as vezes princípios que deviam ter sido impostos no passado não foram executados, de que não adiantaria pequenas regras pra tentar nos impor limites.

  21. Concordo com o texto, deve existir punições para os alunos,mas não de forma agressiva e injusta, mas uma que vai ensinar o aluno a não fazer aquilo mais,ou seja ,uma punição educativa,que não leve o aluno a chegar a um ponto ruim, de forma que ele irá cometer uma besteira, que não cause um problema na sua vida,ás vezes o aluno não deve ter um bom bom comportamento em casas então ele deve pensar porque deverá que ter na escola.

  22. Eu também não achei certo o que essa professora fez, a punição deveria ser menos rígida. Más por outro lado, o aluno também estava errado deixando de cumprir o dever de estudante.

  23. Realmente, regras muitas vezes são boas mais tem que haver limites, do que adianta estabelecer varias regras se não serão compridas ? A educação vem de casa os pais são os principais responsáveis pela educação de cada criança,que desde pequenos já devem crescem tendo responsabilidade e sabendo seus limites para que respeitem a sociedade em que vivem e que as regras sejam cumpridas com maior facilidade.

  24. Certamente, não sou a favor de punir severamente aquele de descumpre regra, na nossa idade achamos que quebra regras é normal mais claro que não é ,mais isso poder ser o mode e uma pessoa esta chamar a atenção para si, então antes de punir procurem saber o que esta acontecendo realmente coms essa pessoa. Com exceção de alguns oltro acham que só por já entrarão na puberdade são donos de seus nariz e podem fazer qualquer coisa, acho sinceramente que toda ação tem uma reação então acho que muita vezes temos que quebra a cara para saber realmente que fizemos besterias.

  25. os pais devem educar seus filhos , mas se na escola a pessoa for rebelde , tem sim que ter regras , mas elas devem ser aplicadas , e cumpridas , não adianta apenas falar que tem as regras , se elas não estão sendo cumpridas , mas o pais devem ensinar seu filhos , a respeitar todos desde criança , ser um bom cidadão honesto , sempre cumprindo as regras e as leis !

  26. O texto está bacana. Não deixa de estar exposta uma possibilidade de instrumento para resolução da problemática, – a necessidade de participação dos envolvidos na instituição escolar -, porém, como está a participação da família neste processo? Qual é a real inclinação dos alunos, mesmo quando convidados, a participar das tomadas de decisões? Creio que é interessante escrever outros textos sobre isso e tentar trazer exemplos, no caso, bem sucedidos para nos inspirar ainda mais.

  27. Achei interessante o texto, pois expõe realmente o que acontece dentro da sala de aula, as vezes os alunos merecem punições severas, mas em outras ocasiões, devido o professor ja está bem estressado devido o que esta acontecendo dentro da sala de forma geral, ele acaba selecionando um para lhe punir de forma injusta devido o acumulo de stress que teve durante toda aula.
    mas nem sempre essa atitude vem do professor, mas também da escola, como citados non texto escolas militares que são conhecidas por "pegar no pé de alunos", e aplicar punições bastantes severas.

  28. Achei interessante o texto, pois expõe realmente o que acontece dentro da sala de aula, as vezes os alunos merecem punições severas, mas em outras ocasiões, devido o professor ja está bem estressado devido o que esta acontecendo dentro da sala de forma geral, ele acaba selecionando um para lhe punir de forma injusta devido o acumulo de stress que teve durante toda aula.
    mas nem sempre essa atitude vem do professor, mas também da escola, como citados non texto escolas militares que são conhecidas por "pegar no pé de alunos", e aplicar punições bastantes severas.

  29. Achei interessante o texto, pois expõe realmente o que acontece dentro da sala de aula, as vezes os alunos merecem punições severas, mas em outras ocasiões, devido o professor ja está bem estressado devido o que esta acontecendo dentro da sala de forma geral, ele acaba selecionando um para lhe punir de forma injusta devido o acumulo de stress que teve durante toda aula.
    mas nem sempre essa atitude vem do professor, mas também da escola, como citados non texto escolas militares que são conhecidas por "pegar no pé de alunos", e aplicar punições bastantes severas.

  30. Vale a pena punir porque a criança está vindo de casa sem limites e quando ele chega na escola e ele vê que tem alguns limites, e que vao aplicar mesmo a sócioeducativa o aluno melhora muito em termos de comportamento, em termos de nota.
    O que eu vejo na verdade é um descuido às vezes até de representantes, agentes do poder público que preferem ficar nos seus gabinetes, nos seu ar condicionado do que ir a campo prestar o serviço que realmente a comunidade precisa e pelo que esses agentes são pagos.

  31. Eu acho sim que deve ter regras em uma escola, só que existe muitos meios de punição, eu acho que o que a professora fez não foi totalmente errado porque existe aulos que precisam mesmo dessas punições, porque esse tipo de aluno não leva o livro porque não quer, mas já tem o caso de o aluno esquecer o livro uma unica vez, então pra esse aluno eu acho que não deve ter punição.

  32. Texto bastante interessante, pois mostra realmente o que acontece em sala de aula, as vezes o aluno não tem limites em casa, e acaba achando que na escola também não tem limites. Para todo erro, deve haver uma punição para que se aprenda um pouco a mais com cada punição.

  33. Texto interessante, pois relata o que acontece realmente na sala de aula! Limites todos devemos ter. Quando erramos uma vez, esquecemos de algo útil na escola, apenas uma vez, deve ser perdoado e sem punição, pois existem alunos que fazem de tudo sempre, participam, e merecem pelo menos uma vez serem perdoados por causa de um esquecimento. Já o aluno que não faz nada, que só conversa, não realiza trabalhos e nem atividades, deve ser punido sim.

  34. Texto interessante, pois relata o que acontece realmente na sala de aula! Limites todos devemos ter. Quando erramos uma vez, esquecemos de algo útil na escola, apenas uma vez, deve ser perdoado e sem punição, pois existem alunos que fazem de tudo sempre, participam, e merecem pelo menos uma vez serem perdoados por causa de um esquecimento. Já o aluno que não faz nada, que só conversa, não realiza trabalhos e nem atividades, deve ser punido sim.

  35. Muito interessante! Acho que deve ter punição,quando o aluno não é esforçado, só sabe conversar, atrapalha ao professor e aos colegas. Caso contrário, acho que pode ser relevado,"perdoado". Mostra bem o que acontece na sala de aula atualmente!

  36. Eu acho que punir não é algo deveremos fazer de primeira, porque se o aluno é ''rebelde'' faremos um favor a ele de puni-lo. Devemos dar uma lição CORRETA aos alunos rebeldes, para que eles possam aprender com os erros dele, mostrar aonde a pessoa esta errando, o motivo dessa rebeldia toda.

  37. Eu acho que punir não é algo deveremos fazer de primeira, porque se o aluno é ''rebelde'' faremos um favor a ele de puni-lo. Devemos dar uma lição CORRETA aos alunos rebeldes, para que eles possam aprender com os erros dele, mostrar aonde a pessoa esta errando, o motivo dessa rebeldia toda.

  38. Eu acho que punir não é algo deveremos fazer de primeira, porque se o aluno é ''rebelde'' faremos um favor a ele de puni-lo. Devemos dar uma lição CORRETA aos alunos rebeldes, para que eles possam aprender com os erros dele, mostrar aonde a pessoa esta errando, o motivo dessa rebeldia toda.

  39. O texto me veio a refletir tudo em volta a escola, tem um trecho que não concordo plenamente, mais pergunto as senhores .Qual mesmo a função da escola . Qual seu papel na sociedade. Então tem muita coisa que fica em aberto para certos esclarecimentos.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: