O que é Juventude?

O que é Juventude?

O que é Juventude?[1]

Andreia dos Santos[2]

Andreia dos Santos

Andreia dos Santos é doutora em Sociologia (UFMG), professora do Departamento e Curso de Ciências Sociais da PUC Minas. É uma das autoras da obra Conceitos e categorias do ensino de Sociologia, vol.2

Quando falamos de juventude, muitas vezes, propomos um recorte etário, mas que não leva em consideração características de uma construção social e cultural. Nesse sentido, o tempo da juventude tem se consolidado, de acordo com Rocha (2006), entre os 15 a 24 anos. Mas juventude não é só a fase, a idade, envolve elementos de classe, raça, gênero, entre outros aspectos sociais e sociológicos. Quando nos referimos a este conceito, podemos pensar num período compreendido na transição entre a infância e a vida adulta. Mas com o passar dos anos pode-se observar que a definição de juventude parte da construção de limites e experiências vividas no âmbito social, temporal e cultural. De acordo com Dayrell (2003) nem ao menos podemos dizer mais de juventude, mas sim de juventudes, com um S ao final, que caracteriza as dimensões sociais e políticas da definição, o que amplia a compreensão do conceito.

Ao definirmos o conceito de juventude, deve-se ter em mente algumas questões pertinentes sobre o termo. A primeira delas, é que, ao contrário do que se pensa, juventude não é um conceito natural – mas, de acordo com Peralva (1997), uma construção social e histórica. Levando em consideração esse aspecto, não se pode deixar de levar em conta os aspectos biológicos, já que se considera as transformações hormonais tão típicas dessa faixa etária.

Ao mesmo tempo, pode-se observar que ao pensar a juventude pela modernidade, permite apreender o conceito por um desenvolvimento dialético entre a institucionalização das juventudes e a possibilidade de sua autonomia, ainda quando é reprimida, contida ou absorvida pela estrutura social. Assim, pode-se reconhecer que há uma contradição entre sociedade e juventude, já que as trajetórias dos jovens oscilam em paradoxos típicos da idade, tais como defendido por Groppo (2010), integração x adaptação, ou ainda, papeis sociais x identidades, entre outros. Esses movimentos, segundo o autor, revelam a ação dos jovens em seus protagonismos e criação de identidades diversas e diferenciadas, resistências.

Conceito de juventude

O conceito de juventude está relacionado as políticas públicas. Sposito e Carrano (2003), apontam para as mudanças proporcionadas por governos recentes[3] que se preocuparam com a juventude e as expectativas desse grupo etário. Indicam que os jovens sempre foram assistidos por políticas públicas voltadas para outros setores, tais como saúde, educação e trabalho. Por isso, ao considerar os jovens como sujeitos de ação política, deve-se ter em mente que, muito das concepções dominantes de uma sociedade vem à tona em relação a juventude, que podem prejudicar, quando o entendimento é que logo serão adultos ou beneficiando, quando observa-se que não tem para esse grupo normativas que orientem as ações políticas (SANTOS, 2021).

Ressalta que os projetos e programas devem atender as demandas dos jovens/juventude. Em alguns casos, observa-se que os agentes públicos não questionam a forma como tais projetos/programas são propostos e executam, procurando atender as demandas do pacote, e sem, contudo, orientar-se para as demandas da juventude.

Referências Bibliográficas

DAYRELL, J. O Jovem como sujeito social. Revista Brasileira de Educação, n. 24, p. 40-52, 2003.

GROPPO, Luiz Antônio. Condição juvenil e modelos contemporâneos de análise sociológica das juventudes. Última Década, n. 33, p. 11-26, 2010

PERALVA, Angelina. O jovem como modelo cultural. Revista Brasileira de Educação, n. 5 e 6, p. 1524, 1997.

SANTOS, Andreia dos. O que é juventude? In: BODART, Cristiano das Neves. Conceitos e categorias fundamentais do Ensino de Sociologia, vol.2. Maceió: Editora Café com Sociologia, 2021. pp. 41-46.

SAVAGE, John. A criação da Juventude: como o conceito de teenager revolucionou o século XX. Rio de Janeiro: Rocco, 2009.

SPOSITO, Marília Pontes e CARRANO, Paulo César Rodrigues. Juventude e políticas públicas no Brasil. Revista Brasileira de Educação, n. 24; p. 16-39; set./dez. 2003.

Como citar este texto:

SANTOS, Andreia. O que é Juventude. Blog Café com Sociologia. mar. 2021. Disponível em: <https://cafecomsociologia.com/juventude/

 

Notas

[1] Texto derivado de “O que é Juventude?”, publicado em “Conceitos e categorias do ensino de Sociologia, vol.2” (2021).

[2] Doutora em Sociologia pela UFMG; Professora Adjunto IV do Departamento e Curso de Ciências Sociais da PUC Minas.

[3] Referem-se mais especificamente aos Governos de Lula e Dilma (2003 a 2013). Em que pese as iniciativas de governos anteriores, iniciadas sobre essa temática, é importante ressaltar que a implementação de um Estatuto da Juventude, acontece nesse período de tempo, levando em consideração a idade e as diversidades entre os grupos jovens.

 

Versão em PDFAQUI

Conceitos e categorias do ensino de Sociologia

Acompanhe nossas redes sociais para não perder nenhum conteúdo:

 

Cristiano Bodart

Doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP), professor do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Docente do Centro de Educação da Ufal.

View more articles Subscribe
comment No comments yet

You can be first to leave a comment

mode_editLeave a response

Deixe uma resposta

menu
menu
%d blogueiros gostam disto: