O ensino de Sociologia, o ENEM e a vida social

O ensino de Sociologia, o ENEM e a vida social

O ensino de Sociologia, o ENEM e a vida social

Cristiano das Neves Bodart[1]

Baixar versão PDFAQUI 

Liberdade de imprensa

Cristiano Bodart é doutor em Sociologia pela USP e docente da UFAL. Pesquisador do tema “ensino de Sociologia”.

Não é surpresa que o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) abre espaço para evidenciar as potencialidades da Sociologia escolar (FRAGA; MATIOLLI, 2014; ROGÉRIO; OLIVEIRA, 2019; MATIOLLI, 2020). Contudo, precisamos ter clareza que essa disciplina não pode ser caricaturada como subserviente à realização de sua redação ou da prova de Ciências Humanas e Sociais. Tal interpretação é equivocada e marcada por vieses neoliberais que avaliam tudo e todos apenas por sua capacidade de gerar ganhos econômicos; no caso, acessar um curso superior preparatório para futura atuação no mercado de trabalho.

O fato da Sociologia estar presente no ENEM, ou se mostrar potente para desenvolver uma redação, não pode ser interpretado como tendo ela atingido seu objetivo, ou sendo isso prova cabal de sua importância no currículo.

Não é a Sociologia que se desloca em direção ao ENEM, mas o ENEM em direção à Sociologia. Explico. O ENEM não visa (e nem deveria) determinar quais conteúdos ou disciplinas são importantes para constituir o currículo do ensino médio. Interpretações nessa direção são armadilhas neoliberais que reduz a Educação a ganhos financeiros. O exame nacional visa “coletar” na sociedade os debates importantes para avaliar o quanto os/as estudantes estão inteirados e qual o “grau” de suas competências para identificar, compreender, comparar, explicar, argumentar e fazer proposições.

Na verdade, o ENEM visa avaliar, no caso dos cadernos das Ciências Humanas e Sociais e da Redação, as competências e habilidades relacionadas ao conhecimento do mundo social (histórico ou contemporâneo). O fato da Sociologia se mostrar importante para a realização do exame é consequência de sua potência explicativa; essa independente da existência de exames de seleção.

O objetivo da Sociologia escolar é capacitar o/a estudante a conhecer (em sentido amplo) o mundo social e a si mesmo. Dotados/as de ferramentas teóricas, metodológicas e conceituais “ler” a sociedade (e atuar sobre ela) se dará em quaisquer circunstâncias, inclusive no momento do exame (BODART; FEIJÓ, 2020). Em outros termos, a Sociologia escolar é importante em diversos momentos da vida social; o exame de seleção é apenas uma dessas ocasiões.

O ENEM é resultado do contexto social, e por isso, não ignora a Sociologia; ciência que vem demonstrando potencialidade para os debates presentes na sociedade brasileira. Tais debates vêm sendo fomentados em diversas esferas públicas, tais como nas redes sociais, onde estudantes iniciados trazem suas compreensões, comparações, explicações, argumentações e proposições. Em tempos de Fake News a publicização dos conhecimentos da Sociologia são fundamentais e a escola, por conta de seu alcance e ambiente, é o espaço mais estratégico para disseminá-los. Daí a importância da manutenção e qualificação do ensino de Sociologia (BODART; FEIJÓ, 2020).

Não é o exame nacional que evidencia a importância da disciplina, mas a Sociologia que vem pautando parte importante do que vem sendo trazido no ENEM (que está “antenado” aos debates públicos). Se por um lado, cabe ao exame avaliar os/as estudantes quanto às competências para identificar, compreender, comparar, explicar e fazer proposições em torno de questões do mundo social; por outro, a Sociologia propicia condições para isso. Não para atender o ENEM, mas à vida social.

>
Referências Bibliográficas

BODART, Cristiano das Neves; FEIJÓ, Fernanda. A importância da Sociologia escolar: esclarecimentos necessários em tempo de obscurantismo. In: BODART, Cristiano das Neves; ROGÉRIO, Radamés de Mesquita; (Orgs.). A importância do ensino das Ciências Humanas: Sociologia, Filosofia, História e Geografia. Maceió: Editora Café com Sociologia, 2020. pp. 19-47.

ROGÉRIO, Radamés de Mesquita; OLIVEIRA, Luan Machado de. O conhecimento sociológico como subsidio à escrita da redação do ENEM. In: BODART, Cristiano das Neves (Org.). O ensino de Humanidades nas escolas. Maceió: Editora Café com Sociologia, 2019. pp. 33-48.

MATIOLLI, Thiago. O ensino de Sociologia e o ENEM. In: BRUNETTA, Antonio Alberto; BODART, Cristiano das Neves; CIGALES, Marcelo Pinheiro. Dicionário do ensino de Sociologia. Maceió: Editora Café com Sociologia, 2020. pp.114-118.

FRAGA, Alexandre; MATIOLLI, Thiago Oliveira Lima. Os conteúdos de Sociologia nos vestibulares e no ENEM: uma discussão sobre conhecimentos prévios. Saberes em Perspectiva, v.4, p. 195-2015, 2014.

Como citar este texto:

BODART, Cristiano das Neves. O ensino de Sociologia, o ENEM e a vida social. Blog Café com Sociologia. jan. 2021. Disponível em:<https://cafecomsociologia.com/sociologia-enem-vida-social/>.

 

 

[1] Doutor em Sociologia (USP) e professor do Programa de Pós-Graduação em Sociologia (PPGS) e do Centro de Educação (CEDU) da Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Editor do Blog Café com Sociologia.

Cristiano Bodart

Doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP), professor do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Docente do Centro de Educação da Ufal.

View more articles Subscribe
comment No comments yet

You can be first to leave a comment

mode_editLeave a response

Deixe uma resposta

menu
menu
%d blogueiros gostam disto: