A hora e a vez dos movimentos sociais. De longe ouve-se o brado: uní-vos!*

A hora e a vez dos movimentos sociais.  De longe ouve-se o brado: uní-vos!*

*Esse texto foi originalmente publicado na Revista Sociologia, da editora escala, nº47. Retomo esse meu texto acreditando que vale a reflexão a respeito de um tema tão vivo. Segue:
A jovem
tunisiana, Amina, é um exemplo [dentre muitos que existem] de que estamos
vivenciando um momento de oportunidades de atuação dos movimentos sociais pós-materiais.
Manifestações
que eclodem pelo mundo indicam um processo de aprofundamento democrático e
ampliação da liberdade de expressão em muitos países ocidentais; fato que vem
influenciando o comportamento de muitos grupos no interior de países que ainda
não desfrutam de tais condições.
A
jovem Amina, de 19 anos, postou, em sua página no Facebook, fotos com os seios de fora,
tendo escrito em seu corpo as frases: “Meu corpo pertence a mim e não é a fonte
de honra de

ninguém” e, “Foda-se a moral de vocês”. A repercussão se deu por
ser ela da Tunísia, país em processo recente de democratização. Sua atitude
trouxe à tona as dicotomias mudanças-permanências, democracia-ditadura,
liberdade-opressão que marcam o processo de mudanças desencadeado pela “Primavera
Árabe”. Com a “democratização” da Tunísia, a jovem é enquadrada em crime com
pena de até 2 anos, mas parece que prevalecem as antigas posturas repressoras:
o clérigo mulçumano condenou-a à morte; fato que pode reacender as cinzas da
“Primavera Árabe”.
Os
ativistas em prol de demandas reprimidas vêm, de forma legítima, se aproveitando
do cenário atual, propício para por em pauta temas que ontem eram tabus, mas
que, hoje, a mídia tem dado visibilidade, tais como a igualdade de gênero e o
casamento civil homoafetivo. O uso das mídias, sobretudo às sociais, tem sido
um repertório de  ação eficiente, pois atuam junto à conscientização
popular e fere à imagem de políticos contrários as reivindicações.
Sexistas,
preconceituosos e outros do gênero, se cuidem! Os ativistas estão se unindo por
entender que a hora é agora. De longe ouve-se o brado: Uní-vos!
Nota: A imagem foi extraída no Facebook de
Amina
Cristiano das Neves Bodart é doutorando em Sociologia pela Universidade de São Paulo/USP e editor
chefe do blog e da Revista Café com Sociologia [cafecomsociologia.com].
Cristiano Bodart

Doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP), professor do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Docente do Centro de Educação da Ufal.

View more articles Subscribe
Leave a response comment8 Responses
  1. Samuel Aço
    agosto 20, 11:06 Samuel Aço

    Vamos com calma… Ainda há muito para conhecer e analisar antes de tirar conclusões. O mundo está em mudança, mas muito do que se vê é apenas a "espuma" do turbilhão que se gera no interior de uma antroposfera profundamente dividida entre possuidores e despossuídos.

    reply Reply this comment
  2. Lucas Aires
    setembro 17, 13:14 Lucas Aires

    NãO podemos negar que vivemos um momento em que a liberdade está sendo cobrada e é legal que as mulheres estão cientes de sua liberde, e estão praticando-a. Mas temos que ver que existem pessoas que não aprovam tal exposição e é necessário repeitá-las!

    reply Reply this comment
  3. Isabella Farias
    setembro 17, 20:55 Isabella Farias

    Estamos em um tempo que a expressão de ideias está liberado, mas do que adianta ser liberado, que quando se manifest, vc já é preso. Não concordo com o que fizeram com ela, ela se expressou, e foi condenada a morte, isso deveria parar, ela só ficou cansada de usada pro sexo, queria fazer o que queria com o corpo, e não concordo com a atitude do governa da Tunísia.

    reply Reply this comment
  4. Anônimo
    setembro 17, 23:39 Anônimo

    A expressão de ideias devia ser permitida, acho q ela não deveria ter sido presa, ela queria se expressar, e estava cansada de ser usada.

    reply Reply this comment
  5. Thayne Pereira
    setembro 18, 00:10 Thayne Pereira

    Hoje em dia expor o que você pensa e algo comum mas não é só porque ela expõe seus sentimentos que se deve anunciar uma guerra, respeito o que o autor disse mas na minha opinião é um pouco cedo para prever as consequências de uma ideia exposta.

    reply Reply this comment
  6. Maísa Macêdo Fernandes
    setembro 22, 21:33 Maísa Macêdo Fernandes

    As pessoas tem a liberdade de expressão, mas tem que saber quando, onde e como usar a sua liberdade.

    reply Reply this comment
  7. nicolas vinicius
    setembro 24, 20:24 nicolas vinicius

    Nos dia de hoje a liberdade de expressão sempre e uma boa escolha mais temos que nos expressar de um modo que que fale o que sentimos mai que não ofenda as pessoa, claro que aquilo que nos indigna faz com que nos falamos mais do que devemos, mais temos que esperar a cabeça esfria e expressamos de modo correto de modo que todos entendam e que nos de rasão e nos apoie.

    reply Reply this comment
  8. nicolas vinicius
    setembro 24, 20:27 nicolas vinicius

    Nos dia de hoje a liberdade de expressão sempre e uma boa escolha mais temos que nos expressar de um modo que que fale o que sentimos mai que não ofenda as pessoa, claro que aquilo que nos indigna faz com que nos falamos mais do que devemos, mais temos que esperar a cabeça esfria e expressamos de modo correto de modo que todos entendam e que nos de rasão e nos apoie.

    reply Reply this comment
mode_editLeave a response

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *

menu
menu
%d blogueiros gostam disto: